Céline Dion Tenta Responder à Questão Mais Controversa de ‘Titanic’

Afinal, poderia Jack caber em cima da porta com Rose e nunca ter morrido? Por: Inês Aparício Imagens: © D. R. e GTRESONLINE.

Existem muitas questões com as quais nos debatemos, mas uma delas irá assombrar-nos para o resto da vida. Poderia ter Jack (a personagem interpretada por Leonardo DiCaprio) sobrevivido, no Titanic, se Rose (Kate Winslet) se tivesse movido apenas um pouco no que parecia ser uma porta com espaço para duas pessoas? Muitas teorias se formularam e, agora, chegou a vez de Céline Dion mostrar a sua perspetiva.

Foi no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, no qual participou para promover o seu novo álbum Courage, que a cantora de My Heart Will Go On juntou os seus argumentos à já longa discussão sobre uma das cenas mais icónicas do cinema. Mas não sem antes tentar fugir à questão: «Queres dar-me problemas? E se eles quiserem fazer um Titanic 2?», brincou.

Mas Jimmy Fallon não a deixou escapar à questão e, portanto, esta acabou por mostrar a sua perspetiva sobre a cena. «Antes de mais, se olharem atenção para a imagem, talvez a Rose esteja morta ou totalmente gelada. E não está completamente em si, ok?», começou por notar a artista. «Depois, ele não precisa de um convite. ‘Anda, amor. Fica à vontade. Salta cá para cima.’ Sabes?», continuou. «Além disso, alguém pensou que este homem, que está no meio do oceano gelado, e que, provavelmente, como tem todo o seu corpo gelado, não tem força suficiente para saltar (em inglês, jump)?», acrescentou, entoando a música Jump! (For My Love).

A (não) opinião de Leonardo DiCaprio

Também foi já pedido a DiCaprio que respondesse a esta questão que tanto apoquenta o mundo. Em julho deste ano, durante uma entrevista para a MTV, a propósito de Once Upon a Time in Hollywood – no qual partilha o ecrã com Brad Pitt e Margot Robbie -, o ator relembrou o clássico e foi sintético: «não tenho comentários», declarou.

Ainda que espicaçado pelos colegas, este manteve a sua posição. «Não te conseguias apertar ali? Conseguias, não conseguias?», tentou Pitt. «Mencionaste-o na altura? Do género, deveríamos fazer a porta maior…», adicionou Robbie. «Como o disse antes, não comento», ripostou o ator de Titanic.

A conclusão do realizador

No ano em que o filme completava duas décadas desde a estreia, em 2017, numa entrevista à Vanity Fair, James Cameron respondeu à pergunta para o milhão de dólares: teriam, ou não, conseguido ficar ambos em cima da porta?

«A resposta à pergunta é muito simples, porque na página 147 [do guião] diz que o Jack morre. É muito simples… Obviamente que foi uma escolha artística, e a coisa só era grande o suficiente para a aguentar a ela, e não grande o suficiente para o segurar a ele… Acho que é um pouco tonto, na verdade, que tenhamos esta discussão 20 anos depois. Mas mostra que o filme conseguiu que o público gostasse tanto do Jack que ficaram magoados com a sua morte. Se ele tivesse sobrevivido, o final do filme não tinha qualquer tipo de sentido… O filme era sobre morte e separação; ele tinha de morrer», concluiu o realizador.