Alessandra Ambrosio: «É Urgente Ser Gentil e Tratar as Pessoas Com Respeito»

Vê sempre o lado positivo da vida, transformou o seu trabalho numa paixão e está comprometida com o planeta. Imagens: © Mario Sierra - Styling; Sylvia Montoliú.

Quando viajámos para as Caraíbas com o propósito de desfrutar desta maravilhosa sessão fotográfica com a supermodelo Alessandra Ambrosio, ainda não tínhamos consciência do que estava para vir. Porque, nesse momento, ainda não estávamos a viver uma crise de saúde global.

No entanto, na ELLE queremos fazer a nossa parte para promover o otimismo que, ao longo de meses consumidos pela incerteza, nos tem ajudado a navegar nesta pandemia. Se teve com atenção às redes sociais nos últimos meses, deve ter visto a fotografia de Alessandra, a usar uma camisola com as cores do arco-íris – aquele que se multiplicou vezes sem conta pelas janelas de tantas casas por todo o mundo, incluindo Portugal, como uma mensagem de esperança. Como boa brasileira que é, Ambrosio sorri para a vida: «Gosto sempre de ver o lado positivo, aquele que transmite esperança, nas situações difíceis como esta que ainda vivemos. Espero mesmo que, quando isto acabar, tenhamos aprendido a lição e saibamos como apreciar verdadeiramente as relações humanas, acima dos contactos tecnológicos, ao contrário do que temos vindo a fazer nos últimos anos».

Alessandra Ambrosio

Não só conta com 23 anos dedicados ao universo da Moda – viajando quilómetros e quilómetros à conta de desfiles, capas de revistas e sessões fotográficas para os títulos de Moda mais famosos do mundo – como também conseguiu reinventar-se e adaptar-se aos novos ritmos e desafios que a indústria da Moda tem enfrentado nos últimos tempos sem sair do Monte Olimpo das supermodelos.

Mãe de dois filhos (Anja Louise, 12 anos, e Noah Phoenix, 8) e empresária de sucesso com GAL Floripa, a sua empresa de fatos de banho, Alessandra garante que escolhe cuidadosamente cada um dos seus trabalhos e que, ao contrário do que fazia no início da sua carreira, é muito mais dona e senhora do seu tempo.

 

«Estamos errados há muito tempo. É urgente ser gentil e tratar as pessoas com respeito». 

 

Com mais de 10 milhões de seguidores no Instagram, tem um contacto muito direto com jovens…

Sim, e gostaria que todos percebessem que é necessário dar um passo para trás e respirar, especialmente neste momento difícil que estamos a viver devido à crise do Covid-19. Temos que nos focar e refletir sobre o planeta e sobre a nossa sociedade, sobre como nos podemos apoiar uns ao outros o máximo que nos for possível. A vida é maravilhosa e passa muito rápido. É necessário parar para nos conectarmos com as pequenas coisas que nos rodeiam, porque elas é que são realmente importantes. Estamos errados há muito tempo. Não se trata da quantidade, mas da qualidade das coisas que temos. É urgente ser gentil e tratar as pessoas com respeito. É algo muito fácil, e se todos fizermos isto, vamos provocar uma grande mudança na humanidade.

Qual é a sua lista de prioridades?

Os meus filhos vêm em primeiro lugar. Eles são a luz da minha vida e eu tenho-os sempre no meu pensamento. Saúde, estar em forma para me sentir bem na minha pele e felicidade completam a minha lista.

Começou a sua carreira muito jovem e uma das suas primeiras capas foi precisamente com a ELLE. O que este momento significa para si?

É um sonho tornado realidade, porque sempre fui super fã da ELLE. Foi quando me vi pela primeira vez na capa da revista que percebi que ser modelo era mesmo uma carreira.

O que vai dizer à sua filha se ela, um dia, lhe disser que quer ser modelo?

No ano passado, ela desfilou pela primeira vez em Itália. Adoraria que ela fizesse a New York Fashion Week comigo, mas isso só o tempo dirá. Ela tem muitas paixões e vou apoiá-la sempre, independentemente das suas escolhas e do que ela decidir vir a ser.

Em 2019 abraçou um novo desafio profissional com a criação da sua marca, a GAL Floripa. Como está a correr essa sua, ainda recente, aventura?

Estou apaixonada por este projeto porque faço-o com as minhas irmãs Gisele (Cória) e Aline (Ambrosio). Tudo começou no verão de 2018 numa praia em Floripa, Brasil – daí o nome da marca – e a primeira coleção saiu em 2019. Fatos de banho e biquínis são como uma segunda pele para nós. No Brasil, devido ao estilo de vida e ao clima, passamos muitas horas do dia a usar estas roupas; por isso, uma das nossas prioridades em termos de design é que todas as mulheres se sintam confortáveis com as nossas peças e que gostem também dos looks. Sabemos que, por vezes, escolher é um grande desafio, é por isso que temos uma grande variedade de estilos, cortes e modelos que são combináveis entre si.

Alessandra Ambrosio

Têm planos para expandir a GAL Floripa?

Ainda não posso revelar nada do próximo capítulo, mas tenha a certeza de que há planos! Estamos muito entusiasmadas e queremos que a GAL Floripa reflita a nossa visão das coisas.

Por questões profissionais, precisa de ter muitos cuidados com o seu corpo e com a boa forma física. Que tipo de desporto pratica? Treina com muita frequência?

Depois de muitos anos, encontrei exercícios eficazes e não muito complicados. Gosto muito de aulas de ioga e pilates. Costumo fazer caminhadas com as crianças e com os meus cães, mas o que mais gosto é estar ao ar livre, andar de bicicleta e patinar em áreas onde consigo ver a praia.

 

«Amo o facto da energia positiva ser uma qualidade tão característica dos brasileiros que a carregamos no nosso código genético»

 

Faz algum tipo de tratamentos?

Sim, costumo fazer tratamentos faciais para manter a pele hidratada e rituais antienvelhecimento sempre que tenho um evento especial. A minha rotina diária é bastante minimal: uso um sérum com ácido hialurónico da Dr. Barbara Sturm e, três vezes por semana, faço a máscara Sparkling Champagne da Mimi Luzon; amo o aroma e tem o nível de hidratação perfeito para mim. Também uso o Magic Cream da Charlotte Tilbury como uma fonte extra de nutrição. E é claro que nunca esqueço o meu protetor solar. Faço massagens corporais sempre que posso, especialmente quando estou a viajar em trabalho. São ótimas para me ajudar a relaxar.

Temos que ser supermães e superprofissionais, encontrar tempo para nós … Mas às vezes não é fácil!

Os meus dias são tão atarefados, mas eu gosto assim. Obviamente, não tenho tempo para tudo, embora seja por isso que tenho que fazer as minhas listas de prioridades. Acredito que o mais importante é dar o melhor de mim em todas as situações. Tanto como chefe de família ou no trabalho, devemos perseguir os nossos sonhos, sempre.

Já se sentiu culpada por não conseguir fazer tudo?

Sim. No entanto, temos que estar cientes de que ninguém chega a todos os lados. Na condição de seres humanos, queremos sempre mais e mais, mas, na realidade, nem sempre temos tempo ou recursos para alcançar o que nos propomos fazer. O importante é, como disse anteriormente, mostrar a nossa melhor versão em cada uma das facetas da nossa vida, para que nos sintamos completos e realizados, mesmo que não seja possível fazer tudo o que desejamos.

Alessandra Ambrosio

Alguma vez imaginou que conseguiria chegar tão longe na sua carreira?

Saí de casa bastante jovem e determinada a realizar o meu sonho. Trabalho muito e há muitos anos. Neste momento, estou profundamente grata a todos os que me acompanharam nesta já longa jornada.

É difícil para si desconectar-se?

Não, entre o desporto e a meditação, costumo conseguir. Tenho que admitir que, para terminar o dia e esquecer o stress, o meu melhor antídoto é estar com os meus filhos: é algo que me regenera e me anima de uma maneira incrível.

Os brasileiros são muito otimistas por natureza …

Claro que sim, é algo que me deixa muito orgulhosa! Amo o facto da energia positiva ser uma qualidade nossa tão característica que a carregamos no nosso código genético. Ser assim traz-te alegria. O Carnaval é uma das minhas épocas favoritas do ano: toda a gente está feliz e reunimo-nos para desfrutar do momento. Espero que em breve possamos voltar a celebrar a vida, abraçar, beijar e conviver de uma maneira normal, porque isso significa que, finalmente, a terrível situação que agora afeta os diferentes continentes terá chegado ao fim.

Este artigo foi originalmente publicado na ELLE de agosto/setembro 2020.