Tarsilinha do Amaral em Conversa Com a ELLE Sobre a Coleção Havaianas X Tarsila

Em entrevista a sobrinha neta da artista fala sobre esta mulher incrível que mudou o Brasil. Por: Margarida Brito Paes -- Imagens: © D.R

A Havaianas lançou uma coleções especial inspirada nas obras da artista brasileira Tarsila do Amaral (1886-1973). A coleção tem gravada nas solas três das obras de arte mais famosas de Tarsila. A artista brasileira ficou na História de Arte Brasileira, pelo seu uso peculiar da cor e das formas, e por retratar a realidade social do país.

A ELLE falou com Tarsilinha do Amaral, sobrinha neta da artista e responsável pelo legado de Tarsila para saber mais sobre esta colaboração.

ELLE: Como definiria Tarsila do Amaral enquanto mulher?

Tarsilinha do Amaral: Uma mulher forte, decidida, com muita personalidade e à frente do seu tempo. Pessoas próximas a ela também a definiam como uma mulher de personalidade suave e gentil, mas com uma inquietação incomum para conhecer novos lugares e culturas. Amava o Brasil e mesmo com uma vida sofisticada nunca deixou de colocar seu olhar poético nas coisas simples. Além de ser artista plástica., Tarsila era uma eximia pianista e cronista, tendo publicado as suas crónicas em jornais durante mais de 20 anos.

E a obra de Tarsila como se define?

Uma obra revolucionária, que mudou os parâmetros da arte brasileira ao mesmo tempo que valorizou o Brasil. Tarsila dizia que queria ser a pintora do Brasil e sua obra representa mesmo essa vontade da artista.

Como é crescer na família de uma artista que influenciou tanto o Brasil?

Tenho muito orgulho de pertencer à família de Tarsila e mais orgulho ainda de ter recebido o mesmo nome dela. Hoje cuido deste legado tão importante e sinto a responsabilidade de carregar este nome.

Como era o Brasil de Tarsila?

Era um país em formação. A independência do Brasil ocorreu em 1822. Nas artes, éramos tradicionais e não havia espaço para a arte moderna. Tarsila e o grupo modernista que mudaram esse panorama. Tarsila atravessou com o Brasil um momento de transição importante, com o início da era industrial, as consequências da Primeira Guerra Mundial e a quebra da Bolsa de Nova Iorque, que trouxe mudanças significativas, inclusive para sua vida pessoal.

Como foram escolhidas as obras para estarem representadas nesta coleção das Havaianas?

São obras icónicas dela, obras que representam a sua arte e representam a brasilidade em sua arte. Essa essência de mostrar o Brasil também está presente nas Havaianas.

Qual é a importância desta colaboração?

Para mim, como representante da pintora, é muito importante poder mostrar a Tarsila fora do Brasil através de uma marca tão importante como a Havaianas. Entendo que existem semelhanças entre Tarsila e Havaianas. Ambas representam o espírito brasileiro através da sua alegria, cores, mas sem abrir mão da simplicidade.

A arte torna-se ainda mais poderosa e comunicativa quando se transforma num objeto do quotidiano?

Acredito que ajude muito a divulgar a arte e torná-la mais acessível ao público. Acredito que os artistas são os verdadeiros embaixadores de qualquer cultura.

Como é que a arte e as colaborações que envolvem obras artísticas podem ser um motor de mudança social?

A arte inspira e sei que Tarsila inspira as pessoas através da arte, mas também da sua história de vida.