Oito Momentos Que Marcaram a Semana de Moda de Paris

De Pamela Anderson na praia da Chanel à polémica coleção de Hedi Slimane para a Celine. Por: Vítor Rodrigues Machado -- Imagens: © Imaxtree e GTRESONLINE.

Depois de oito dias, em que marcas e designers apresentaram as suas propostas para a primavera-verão 2019, chegou ao fim mais uma edição da semana de moda de Paris, e por esse mesmo motivo, é hora de fazer um balanço de tudo que mais marcante aconteceu durante o evento.

Em baixo, reunimos os oito momentos mais memoráveis de esta edição da PFW.

 

A atuação surpresa de Jane Birkin no desfile da Gucci

Depois de ter apresentado a coleção Cruise 2019 num cemitério romano – que mais tarde se transformou num cemitério cristão – na cidade de Arles, em França, Alessandro Michele parece ter sido conquistado pelo país, e esta estação escolheu abandonar (pela primeira vez) a semana de moda de Milão, preferindo apresentar a linha de primavera/verão 2019, em Paris. Para tornar o acontecimento ainda mais icónico, e parisiense, a meio do desfile Jane Birkin atuou, cantando a sua música Baby Alone in Babylone.

 

 

O espetáculo de dança contemporânea no desfile da Dior

Foi a nomes como Isadora Duncan, Martha Graham e Loïe Fuller – bailarinas e pioneiras da dança moderna – que Maria Grazia Chiuri foi buscar a inspiração para criar a coleção de primavera/verão 2019. Para combinar com o tema que deu origem à coleção, Chiuri transformou a apresentação num verdadeiro espetáculo de dança contemporânea.

 

 

Em Saint Laurent as modelos desfilaram sob a água

Já começava a escurecer quando o desfile da Saint Laurent começou, encerrando assim o segundo dia de apresentações da semana de moda de Paris. Aproveitando a escuridão, a marca francesa cobriu a passarelle (que estava pintada de preto) de água, tornando as modelos em seres divinos, capazes de caminhar sobre a água.

 

Marques’Almeida apresentam pela primeira vez em Paris

Esta estação, a dupla portuguesa Marques’Almeida – que vai também apresentar no Portugal Fashion – decidiu trocar as passerelles da capital britânica, pelas da semana de moda de Paris. O local escolhido para mostrar esta coleção, que tinha como inspiração, «as nossas raízes portuguesas com a influência de quem está há tantos anos em Londres», como partilham com a ELLE após o desfile, foi o Palais de Tokyo.

 

O desfile de Ann Demeulemeester foi inspirado num cadáver famoso

Uma pintura, um desporto, a cultura de um povo ou até mesmo uma cerimónia religiosa podem servir como fontes de inspiração para os designers criarem as suas coleções. Mas, no caso de Sébastien Meunier, diretor criativo da Ann Demeulemeester, a inspiração para esta linha de primavera-verão 2019, foi algo mais inusitado: um cadáver. Ou melhor, a máscara de um cadáver de uma mulher, encontrada no rio Sena no final do século XIX, que se tornou célebre como A Desconhecida do Sena.

Para quem desconhece a história, alegadamente, o corpo da jovem (supostamente com 16 anos) foi encontrado no Rio Sena, em Paris, e na morgue, o médico, achou que tinha um rosto encantador. Por isso fez um molde da sua cara.

 

 

A primeira coleção de Hedi Slimane para a Celine (ex-Céline)

Se existe momento que realmente marcou a semana de moda de Paris, foi a estreia de Hedi Slimane, na Celine. Não só por ser a sua primeira coleção para a marca, mas também pelas inúmeras críticas posteriores. Tanto nas redes sociais como nos meios especializados, foram vários os que afirmaram que a coleção apresentada pelo designer era idêntica às que criou anteriormente para a Yves Saint Laurent.

Momentos Semana de Moda de Paris

 

Cara Delevingne desfila para a Balmain enquanto faz playback de uma música de Prince

Por norma, Olivier Rousteing, faz sempre questão de escolher modelos conhecidas para os desfiles, afinal o #BalmainArmy existe por algum motivo. Kendall Jenner, Joan Smalls, Kaia Gerber são alguns dos nomes que integram o exército de Rousteing. Mas todos eles estiveram ausentes do desfile de primavera-verão. A compensar Cara Delevingne regressou às passerelles. E melhor ainda, abriu o desfile enquanto fazia playback da música When Doves Cry, de Prince.

 

 

Chanel faz nascer uma praia no centro de Paris e Pamela Anderson esteve lá

Um dos motivos que torna o desfile da Chanel num dos momentos mais aguardados semana de moda de Paris, são os cenários que a maison francesa constrói estação após estação. E esta não foi exceção. Depois de ter montado uma nave espacial, e ter criado uma floresta repleta de cascatas, no Grand Palais, foi a vez da Chanel trazer uma praia até à capital francesa.

Para tornar tudo ainda mais icónico, Pamela Anderson foi uma das convidadas da marca e ao entrar para o desfile passeou junto ao mar, ao melhor estilo Baywatch.