Devido às Críticas, Kim Kardashian Vai Alterar O Nome da Sua Nova Marca

Esta irá anunciar, em breve, a nova designação da marca. Por: Inês Aparício -- Imagens: © GTRESONLINE.

Na semana passada, Kim Kardashian anunciou o lançamento de uma marca de lingerie que, de acordo com a mesma, seria inclusiva, ao ser composta por peças em nove tonalidades e tamanhos desde o XXS ao 4XL. Mas, em menos de 24 horas, as críticas surgiram. Não pela tentativa de representatividade, mas pelo próprio nome da insígnia, Kimono, que, de acordo com vários utilizadores nas redes sociais, era desrespeitador do vestuário tradicional japonês.

Agora, a celebridade anunciou no Instagram que iria alterar o nome da marca, depois de ter ouvido as acusações de apropriação cultural de que foi alvo. «O que me permitiu, após todos estes anos, [ser uma empresária] foi a linha direta de comunicação com os meus fãs e o público. Estou sempre a ouvir, aprender e a crescer – por isso, agradeço a paixão e as diversas perspetivas que as pessoas me dão», afirmou Kim numa publicação. «Quando anunciei o nome da minha linha de roupa interior, fi-lo com a melhor das intenções. As minhas marcas e os meus produtos são construídos tendo a inclusividade e diversidade como base e, depois de ter pensado cuidadosamente, irei lançar a minha marca sob um nome novo», anunciou.

Apesar de não ter adiantado qual será o novo nome da marca, revelou que o faria em breve.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Being an entrepreneur and my own boss has been one of the most rewarding challenges I’ve been blessed with in my life. What’s made it possible for me after all of these years has been the direct line of communication with my fans and the public. I am always listening, learning and growing – I so appreciate the passion and varied perspectives that people bring to me. When I announced the name of my shapewear line, I did so with the best intentions in mind. My brands and products are built with inclusivity and diversity at their core and after careful thought and consideration, I will be launching my Solutionwear brand under a new name. I will be in touch soon. Thank you for your understanding and support always.

Uma publicação compartilhada por Kim Kardashian West (@kimkardashian) em

O pedido de desculpas

Antes de decidir renomear a marca, a Kardashian já havia emitido um pedido de desculpas, tendo procurado clarificar a sua intenção com o nome ‘Kimono’. «Eu entendo e tenho um profundo respeito pelo significado do kimono na cultura japonesa e não tenho quaisquer planos de desenvolver ou lançar peças de vestuário que de algum modo sejam semelhantes ou desonrem o vestuário tradicional», declarou num texto publicado no New York Times. «Decidi nomear a minha empresa Kimono, não para desassociar a palavra às suas raízes japonesas, mas pela beleza e detalhes desta peça», esclareceu.

Uma carta para que Kim reconsiderasse o nome

Além da pressão e críticas de apropriação cultural nas redes sociais, um mayor japonês enviou uma carta aberta a Kim para que esta «reconsiderasse a sua decisão de utilizar o nome Kimono», alvo de controvérsia pela sua «insensibilidade em relação à história e tradição japonesa», avança o Independent. Daisaku Kadokawa escreveu que o kimono «simboliza verdadeiramente o sentido de beleza, espírito e valores dos japoneses» e que, de momento, estão a tentar regista-lo como património imaterial pela UNESCO, pelo que considera que o nome «não deve ser monopolizado».