#ELLEstaylocal: Piquinhos Kids, A Marca de Roupa de Bebé Repleta de Clássicos

Carmo Bustorff Vinhas é a mente por trás desta. Por: ELLE Portugal Imagens: © D. R.

Foi numa viagem de carro para Tomar que Carmo Bustorff Vinhas, a mente por trás da Piquinhos Kids, teve o seu momento ‘eureka’ e o nome da marca surgiu, enquanto homenagem ao seu pai, a quem a mãe tratava por Pico. Da designação da insígnia à realidade, um pequeno (grande) passo foi dado e, assim, em fevereiro de 2018, nasceu o projeto que iria ocupar a fundadora até aos dias de hoje.

Carmo Bustorff Vinhas, fundadora da Piquinhos Kids

O que te levou a criar este projeto?

No ano em que casei (2017), fiquei sem trabalho. Estava a trabalhar no Novo Banco e, a um mês de casar, rescindiram contrato. Como não sou pessoa de ficar sossegada e de não querer depender financeiramente do Salvador (o meu marido), assim que fiquei à espera do meu primeiro filho, senti a necessidade de fazer algo que fosse de encontro ao bebé que ia nascer! Foi então que me pus a pesquisar e a ver o que havia de oferta das outras marcas e reparei que pijamas com modelos e padrões mais clássicos, práticos de se vestir e confortáveis, não existiam. Quer dizer, havia alguma oferta, mas os preços eram altíssimos. Depois de muito trabalho e dedicação, nasceu a nossa marca.

Qual é a história por trás do nome?

O nome foi o mais fácil de decidir. A caminho de Tomar, para me apresentar à segurança social (tinha de ir de mês a mês a umas formações), e em conversa com a minha mãe, começámos a pensar no nome que deveria dar à marca. O meu pai já não era vivo nessa altura e a minha mãe tratava-o por Pico. Como queria mantê-lo presente nas nossas vidas e neste projeto, além de que ia nascer o Pedro… Pico levou a Piquinhos, pois os seus netos iriam ser tratados por esse nome. Assim surgiu o nome!

O que foi mais complicado no processo de criar uma marca?

O processo até foi simples, o mais complicado foi em encontrar costureiras. No início, comecei com duas, mas como trabalhavam para outras marcas e tinham muito trabalho, disseram-me que não me conseguiam ajudar. Ainda fiquei uns tempos desamparada, sem produção e sem vendas, mas ao fim de uns tempos, e através do meu cunhado, encontrei a minha preciosa Ana. A Ana fazia os fatos à portuguesa para as provas de Dressage de Vasco e, por conversa, o Vasco passou-me o seu contacto. Decidi ligar-lhe e, em três tempos, marcámos a nossa primeira reunião. A partir daí, tudo voltou a crescer novamente.

Qual foi a razão para nunca desistires?

Acreditar que conseguia crescer aos poucos e poucos e que as fases menos boas eram momentos para refletir e arranjar maneira de dar a volta. Depois, o feedback tão bom das clientes ajudou a seguir em frente.

Qual foi o melhor momento ou história da marca até hoje?

Conseguir criar e continuar a criar uma ligação muito forte com as famílias que pertencem à Piquinhos Kids.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Piquinhos Kids (@piquinhoskids) a

 

Como é que a tua marca faz a diferença?

O facto de estar sempre disponível para ir ao encontro das necessidade das clientes e a produção ser efetuada como gostam. Temos a facilidade de trocar algum pormenor que não seja o que a cliente tanto gosta. Basicamente, fazer tudo por medida: com qualidade, rapidez e simpatia.

O que ainda falta conquistar?

Tanta coisa… Neste momento, faço tudo sozinha com a Ana. A Ana produz e eu trato das encomendas, dos envios, dos fornecedores, das redes sociais, do marketing, das promoções, etc etc. Mas o meu maior desejo é criar parcerias com hospitais privados e oferecer algo que simbolize a Piquinhos Kids, a todos os novos bebés que vão nascendo.

O que mais precisas neste momento para chegares onde queres?

Sei que tudo se conquista e não quero dar passos maiores que a perna. Estamos a crescer a bom ritmo e é para manter. Com o decorrer do tempo, quero alargar a minha equipa e montar uma estrutura de vendas online.

Quais os maiores motivos para comprar português?

Como se costuma dizer «o que é nacional é bom» e esta frase encaixa-se perfeitamente. Não falo só por mim, mas pelas outras marcas também… Os nossos produtos têm ótima qualidade, são exclusivos e pensados ao pormenor.

Diz-me outra marca/espaço português que te inspire?

Maria Bianca, Sal & Pimenta, Pukatuka, El Ajuar Cadiz, Levantelier, Pepa & Co.

———

#ELLEstaylocal

Apoiar e dar conhecer projetos portugueses é a missão da rubrica #ELLEstaylocal. Acreditamos que hoje é mais importante, que nunca, comprar português. É importante não deixar que marcas de qualidade se percam na espuma da pandemia.

#ELLEstaylocal: Salomé Faria, a Veterinária Que Criou Uma Marca de Jóias