#ELLEstaylocal: Guaja., A Marca Portuguesa e Cool Que Vai Querer No Seu Armário

Pode parecer demasiado bom para ser verdade, mas é também sustentável e segue uma política zero waste. Por: ELLE Portugal Imagens: © D. R.

Desde que se lembram que o universo dos tecidos, botões e fechos faz parte das suas vidas. «Crescemos entre máquinas, adormecíamos em mesas de corte e brincávamos com os manequins», contam as duas irmãs, Ana Rita e Sofia Oliveira, à ELLE.pt. Por isso, com a Moda a correr pelas suas veias, depois de muitas voltas, acabaram por se unir à mãe, Fernanda Pereira, para dar vida à Guaja., em abril do ano passado. Desde aí, têm lançado peças tão cool, que queremos adicionar todas aos nossos guarda-roupas. Principalmente sabendo que são sustentáveis.

Ana Rita Oliveira e Sofia Oliveira, duas das fundadoras da Guaja.

O que vos levou a criar este projeto?

Crescemos neste meio. Desde que temos memória que os nossos pais tinham uma fábrica têxtil, que trabalhava com artigos de marcas muito importantes deste mercado, com uma minúcia e qualidade que nos deixavam maravilhadas. Crescemos entre máquinas, adormecíamos em mesas de corte e brincávamos com os manequins. Depois de seguirmos os nossos percursos académicos, tirarmos as nossas licenciaturas, e trabalharmos noutras empresas, percebemos que nada daquilo correspondia aos nossos sonhos. Os nosso pais já não tinham a fábrica, mas isso não seria um obstáculo. Abandonamos os nossos trabalhos e convencemos a nossa mãe a embarcar nesta aventura.

Qual é a história por trás do nome?

GUAJA. deriva do nome de uma tribo nómada “guajá”. O nome surgiu numa das muitas pesquisas pelo nome perfeito. Percebemos que fazia todo o sentido, uma vez que é um negócio de família, sendo que, no caso da nossa, considerávamo-la um bocadinho nómada por termos vivido separados, em diferentes partes do mundo, termos também vivido noutros países em experiências de voluntariado e pelas tantas viagens que fomos fazendo durante o nosso percurso até aqui. Por fim, escolhemos esse nome por percebermos que esse lado nómada também representa um ciclo nas nossas vidas, no qual, depois de tantos anos, acabamos por voltar ao ponto de partida, a costura.

O que foi mais complicado no processo de criar uma marca?

O mais complicado não foi o brand awareness nem a identidade da marca, foi o aspeto prático do negócio. Encontrar fornecedores de qualidade, tecidos de qualidade e materiais que realmente nos destacassem dos demais.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Everyday type of pants 🌪

Uma publicação partilhada por GUAJA. ® (@guaja.studio) a

Qual foi a razão para nunca desistirem?

A GUAJA. tem pouco mais de um ano e, até agora, não houve motivos para tal. Temos um objetivo muito vincado e somos muito focadas nele. Sim, trabalham-se sete dias por semana, horas incontáveis e, muitas vezes, com um cansaço extremo. Começar uma empresa não é fácil, sobretudo sem bases e sendo estreantes em marcas próprias. Contudo, até hoje, todo esse esforço foi compensado e sabemos que atingimos patamares altos tão cedo. Somos imensamente agradecidas a todas as nossas clientes e pessoas que nos apoiam em todos os lançamentos!

Qual foi o melhor momento ou história da marca até hoje?

Provavelmente o dia em que lançamos o website. Na GUAJA. todos os processos que envolvem a marca, o design, a confeção e a embalagem passam por nós as três e acreditamos que essa é a verdadeira razão das nossas clientes adorarem a marca. O amor, o trabalho e a dedicação vêm-se em cada detalhe. Naquele dia, ainda não tínhamos montado o nosso atelier, que também foi um dia muito marcante, e lançamos o site na nossa mesa da sala de estar, que tinha sido transformada numa pequena confeção, na altura em que a ideia surgiu e fizemos as primeiras peças. Quando celebramos um ano, em abril, também fomos mencionadas na British Vogue, que foi sem dúvida um acontecimento enorme para a marca.

Como é que a vossa marca faz a diferença?

A GUAJA. é uma marca de everyday wear, que só por aí marca a diferença. Somos uma marca que cria peças intemporais, com uma conotação sustentável e uma política zero waste. Cada peça é pensada para passar de geração em geração. Gerações essas, de mulheres fortes e determinadas. É uma marca feita de mulheres para mulheres, com peças realmente usáveis e úteis no dia-a-dia. Usar GUAJA. é ser forte, de formas que só uma mulher pode ser.

Temos um design com linhas fortes, um pouco masculinas, com detalhes femininos e uma conotação vintage. Na GUAJA., less is always more.

O que ainda falta conquistar?

Para uma marca com pouco mais de um ano, já atingimos coisas das quais nos orgulhamos muito, mas falta conquistar tudo. A GUAJA. é um projeto muito ambicioso, para o qual não colocamos limites.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Definition of timelessness . Our Ozzy vest 🤍

Uma publicação partilhada por GUAJA. ® (@guaja.studio) a

O que mais precisam neste momento para chegarem onde querem?

Encontrar pessoas com a capacidade e qualidade de produção que exigimos, o que nos libertará consequentemente mais tempo e que por sua vez nos permitirá atingir novos patamares. Tem sido uma busca incessante e que ainda não encontramos.

Quais os maiores motivos para comprar português?

Mais do que comprar português, é comprar a pequenas marcas. Percebemos que o primeiro instinto do consumidor é olhar ao preço, contudo, em bom português, «às vezes é preciso olhar com olhos de ver». Comprar de marcas pequenas, e portuguesas, é apostar numa qualidade infinitamente superior. É apoiar o design e confeções próprias. Compra português deve significar comprar o que é desenhado e produzido cá. Isso, por sua vez, significa que todos os custos da marca são substancialmente mais elevados do que qualquer marca de fast fashion. Comprar português, ao invés de uma marca de fast fashion, é comprar produto diferenciador, que apoia toda a economia nacional, que não explora mão-de-obra infantil ou feminina e que não agrava disparidades sociais em países em desenvolvimento. Comprar português é mais do que uma questão de apoiar o mercado nacional, é uma questão de ética.

Que outra marca/espaço português vos inspira e porquê?

The Feeting Room: um espaço português, que apoio marcas pequenas e diferenciadoras, muitas das quais portuguesas. É um local cool, contemporâneo e que agrega vários conceitos num mesmo espaço. A vibe, decoração e staff fazem qualquer pessoa se sentir bem-vinda.

_ _ _ _

#ELLEstaylocal

Apoiar e dar conhecer projetos portugueses é a missão da rubrica #ELLEstaylocal. Acreditamos que hoje é mais importante, que nunca, comprar português. É importante não deixar que marcas de qualidade se percam na espuma da pandemia.

#ELLEstaylocal: Fora, A Marca de Óculos Que É Portuguesa do Início Ao Fim