A Dior Vai Continuar a Apresentar A Coleção Cruise Em Itália, Mas Sem Público

O presidente da Christian Dior Couture, Pietro Beccari, espera que este cenário não se repita em Paris. Por: Inês Aparício Imagens: © Imaxtree.

Tal como estava planeado acontecer – num mundo paralelo, sem covid-19 -, Itália vai receber a apresentação da coleção cruise da Dior. Contudo, não será exatamente como pensado. Ao longo da passerelle, não estarão bancos repletos de jornalistas, influencers e possíveis compradores, uma vez que a maison tomou a decisão de não ter audiência no desfile, adianta o WWD.

Marcado para 22 de julho – a data original, 9 de maio, teve de ser adiada devido à pandemia – em Lecce, o evento foi anunciado esta segunda-feira, 22 de junho, numa conferência de imprensa online dirigida por Pietro Beccari, presidente e CEO da Christian Dior Couture, e Maria Grazia Chiuri, diretora criativa da marca. Nessa, Beccari avançou que, por trás desta decisão, esteve um fator emocional e a vontade de fazer uma homenagem aos artesãos dessa região italiana, que ajudaram na criação da linha e foram severamente afetados pela crise pandémica. «Nada carrega emoção como um desfile de moda real e ao vivo», declarou, adicionando que este seria «um tributo à sua paixão e compromisso».

Alterações e permanências

Apesar de serem já vários os criadores que anunciaram abandonar o calendário tradicional, o presidente da casa de luxo revelou que a Dior não seguirá as suas pisadas. Esta irá manter-se na Semana de Moda de Paris, mostrando, como habitualmente, duas coleções por ano. «Vamos seguir o ritmo das semanas de moda. Existem muitas pessoas em Paris que esperam que sigamos esse ritmo. Acreditamos que uma injeção de novidade é importante para o negócio, por isso começamos com a coleção cruise», esclareceu. Porém, este espera «ter uma sala cheia em setembro», ainda que tenha consciência de que isso dependerá das medidas de segurança e saúde.

No que à apresentação da coleção de Alta Costura diz respeito, Beccari afirmou que não será igualmente ao vivo. Contudo, não detalhou especificidades quanto ao formato, referindo apenas que será uma surpresa. «Não será um desfile ao vivo, no mesmo sentido, mas a Maria Grazia teve uma ideia fantástica», disse, em tom de provocação. É de salientar que a Semana de Moda de Alta Costura terá lugar entre 6 e 8 de julho.

O panorama geral da Moda

Foram muitos os criadores a tomar a decisão de cancelar os seus desfiles. A Chanel foi uma das que seguiu esse caminho, mas, acabou por obter uma alternativa para apresentar a coleção cruise. Foi no universo digital que encontrou a passerelle e, aí, mostrou ao Mundo as propostas para a estação quente, num vídeo.

Mas as alterações na indústria não se ficaram por aqui. Marcas como a Gucci ou a Michael Kors aproveitaram os meses de quarentena para avaliar a direção tomada pela Moda nos últimos anos e questioná-la. Assim, optaram por quebrar a cadência das apresentações e revelaram o desejo – que se tornará numa realidade – de eliminar as coleções cruise dos seus planos, exibindo as propostas apenas duas vezes por ano.