O Jogo de David Catalán e a Desconstrução dos Clássicos Por Maria Gambina

Assim terminou o primeiro dia de desfiles do Portugal Fashion. Por: Inês Aparício Imagens: © Viewfashionbook.

 

O ato de vestir por Susana Bettencourt

 

Nas palavras da designer: «’Overload’ é o manifesto de Susana Bettencourt que, através do seu próprio universo material – o knitwear –, nos mostra como todos os pedaços se juntam e dão origens a formas rijas, de uma estrutura pesada e de universos completamente opostos. Assemelha-se a uma ode à individualidade, à inteligência emocional e localiza a sua mulher como uma wonder woman do mundo social contemporâneo. (…) A consistência em utilizar os recursos disponíveis, resultado de desperdícios, é cada vez mais uma característica da marca, sendo que, além das preocupações sociais que Susana Bettencourt desenvolve desde o início, faz cada vez mais sentido produzir de uma forma sustentável, ou não fosse o registo da apresentação ‘Overload’ uma forma de combater a forma de produção massiva e tóxica do fast-fashion».

 

 

Destaques: O formato do desfile, que envolveu a própria criadora a vestir as modelos já na passerelle, aplicações de botões, trabalho das malhas (como dobras e entrançados).

O jogo de David Catalán fora das quatro linhas

 

Nas palavras das designers: «Para a coleção outono-inverno 2020/2021, a marca David Catalán revisita o universo dos casuals football. Tem como ponto de partida o guarda-roupa dos adeptos e fãs das claques das várias equipas de futebol inglesas. As suas marcas icónicas são uma referência fundamental para a escolha das peças base coleção. As cores dão ênfase a jogos cromáticos que melhor ilustram os ambientes dos adeptos nos dias de jogo das suas equipas. A silhueta reflete a identidade do estilo dos casuals football recorrendo a peças chave deste movimento».

 

 

Destaques: Mistura de materiais, aplicação de cachecóis desportivos em peças, clássico vs desportivo, fatos de treino e riscas.

Maria Gambina reinterpreta os clássicos

 

Nas palavras das designers: «Uma coleção que reforça a identidade da marca; gráfica, divertida, urbana e criativa. Denims e materiais com acabamentos inovadores, sustentáveis e reciclados, conjugam-se com malhas tricot numa atitude sofisticada, de silhueta longa, com detalhes inesperados e uma inquietude contemporânea. O bomber jacket, o trucker, o duffle coat e o trench coat reinterpretam-se e desconstroem-se. Detalhes normalmente utilizados nos interiores das peças ganham destaque e joga-se com falsas peças em layers imprevistas».

 

 

Destaques: Desconstrução dos clássicos, impermeáveis que se transformam em vestidos, gangas e estampagem de palavras de caráter depreciativo começadas com as iniciais da marca.

 

(O plano de contingência face ao Covid-19 não permitiu a presença da ELLE no evento)

 

(As declarações correspondem às memórias descritivas do dossier de imprensa do PortugalFashion)