Chanel: O Desfile de Alta Costura Começou no 18º Coordenado

Foi precisa alguma paciência até nos conseguirmos entusiasmar com as propostas da Chanel. Mas conseguimos! Por: Margarida Brito Paes -- Imagens: Imaxtree

Quando pensamos em alta-costura, pensamos em tecidos trabalhados, pedrarias, volumes, folhos, cortes angulosos, misturas de tecidos improváveis. O desfile da Chanel teve tudo isto, mas só depois do 18º coordenado. Este foi o primeiro desfile de alta-costura com Virginie Viard à frente da Chanel.

O desfile começou com quatro casacos compridos, que se fossem julgados apenas pela estética poderiam muito bem pertencer à coleção de pronto a vestir da marca. Uma sensação que se manteve até surgir um coordenado composto por casaco e vestido, bordados com pedrarias em tons de dourado, e gola de marinheiro com várias camadas leves. E a partir daqui chegou a alta-costura.

A mão de Viard

Destacaram-se os coordenados de musselina com um rigoroso trabalho de camadas sobrepostas. Não faltaram ainda as rendas, nem as saias volumosas. Uma novidade, com o cunho de Viard, foi o uso de drapeados, os franzidos largos e presos, e um maior número de calças do que aquele a que Lagerfeld nos tinha habituado nos desfiles da Chanel.

O cenário

A megalomania do cenários também parece ter tido o seu fim, nesta nova era da Chanel. Se a estação de comboios que serviu de palco à coleção Cruise da marca, apresentada em maio, já tinha ficado longe dos palcos criados por Karl, então a biblioteca que serviu de pano de fundo à coleção de alta-costura, ficou a anos-luz. Parece que o caminho da nova Chanel é mais simples e com os pés mais assentes no chão, apesar das linhas e silhuetas de Karl Lagerfeld ainda estarem bastante presentes.