O Vestido Semitransparente Desta Atriz Egípcia Pode Valer-lhe Pena de Prisão

Acusada de «incitar a libertinagem», Rania Youssef arrisca cinco anos de prisão. Por: Cátia Pereira Matos -- Imagem: © Instagram Rania Youssef

Quando, na passada quinta-feira, Rania Youssef decidiu comparecer na cerimónia de encerramento do Festival Internacional de Cinema de Cairo, a atriz egípcia estava longe de imaginar que iria ser acusada de «incitar a libertinagem» pelo facto de ter escolhido usar na passadeira vermelha do evento um vestido preto semitransparente.

A peça em questão — um vestido de tule adornado com losangos brilhantes usado sobre um body negro opaco, que deixava as pernas da de Rania Youssef parcialmente expostas — não passou despercebida, tendo a atriz sido alvo de críticas severas, primeiro nas redes sociais, e posteriormente por parte de dois advogados, que consideraram a roupa ofensiva. Assim, e sem demora, Amro Abdelsalam e Samir Sabry avançaram com uma ação judicial contra Rania Youssef.

À Agence France-Presse, citada pela BBC, Sabry disse que a forma como a atriz se apresentou «não atendeu aos valores da sociedade, às tradições e aos costumes, e portanto prejudicou a reputação do festival, e em particular a reputação das mulheres egípcias». Rania Youssef será ouvida em tribunal a 12 de janeiro. Caso seja considerada culpada, poderá ter de cumprir uma pena de prisão com a duração máxima de cinco anos.

 

Rania Youssef reage às críticas

Nas suas páginas de Instagram e Facebook, Rania Youssef reagiu às críticas. «Quero reafirmar o meu compromisso com os valores e com a ética a que fomos criados na comunidade da egípcia», escreveu a atriz de 45 anos. «Foi a primeira vez que usei o vestido e não achei que fosse provocar tanta raiva (…) Se eu soubesse, não o teria usado», desabafou.