Super Bowl: O Destaque do Empoderamento Feminino nos Anúncios Publicitários

Enquanto que o campo foi dominado pelo género masculino, o intervalo do jogo teve o foco nas mulheres. Por: Inês Aparício -- Imagens: © D. R.

As vozes das mulheres que ordenam uma maior igualdade de género subiu de tom no início do ano passado, muito motivada pelo movimento #MeToo. Estas atingiram as passadeiras vermelhas, fizeram correr muita tinta na imprensa internacional e, agora, chegaram ao maior evento desportivo nos Estados Unidos. O intervalo do Super Bowl – que continua a ser um dos momentos mais lucrativos no que diz respeito à publicidade, com vídeos de 30 segundos a custar 5 milhões de dólares, e uma audiência de cerca de 100 milhões de americanos – fez-se essencialmente no feminino, com mulheres a protagonizar grande parte dos anúncios publicitários.

Com os números divulgados pela NFL (National Football League, a liga profissional de futebol norte-americano) em mente, que mostravam que quase metade dos apoiantes das equipas (45%) é composto por mulheres, os departamentos de marketing e comunicação apostaram no alcance desse público, através de campanhas de empoderamento feminino. Deste modo, também a percentagem de mulheres com um papel de relevo na publicidade emitida durante o intervalo do Super Bowl aumentou. De acordo com os dados revelados pela empresa de pesquisa ABX, citada pela Euronews, a quantidade de estrelas femininas nestas campanhas passou de 34% (no ano anterior) para o dobro.

No entanto, segurança foi a palavra de ordem. Segundo Timothy Calkins, professor de marketing na Universidade Northwestern, em declarações ao Daily Sabah, «os anunciantes emitiram mensagens focadas nas mulheres, mas foram muito cuidadosos para não ofender os homens pelo caminho».

Os anúncios protagonizados por mulheres

A par do concerto dos Maroon 5 – cujo vocalista foi criticado por despir a camisola em palco -, o intervalo do jogo entre os Los Angeles Rams e os New England Patriots foi, como é hábito, completo com campanhas publicitárias de milhões de dólares.

Sarah Jessica Parker trouxe Carrie Bradshaw de volta ao ecrã, num anúncio para a marca de cerveja Stella Artois. Quando a atriz de O Sexo e a Cidade trocou o icónico Cosmopolitan pela bebida publicitada, o caos toma conta do bar porque «o drama, o choque, o horror» acontecem.

Também Zoe Kravitz é o rosto de uma campanha publicitária para uma marca de cervejas. Desta vez, a Michelob Ultra e sem um tom humorístico, uma vez que o objetivo desta é encorajar os consumidores a reconetarem-se com a natureza.

Ainda das caras conhecidas de mulheres que protagonizaram anúncios na edição deste ano do Super Bowl faz parte a tenista Serena Williams, rosto da publicidade da aplicação de encontros Bumble. O convite é para as mulheres «fazerem o primeiro movimento», quer na app como em todas as áreas das suas vidas.

No anúncio da Toyota é contada a história de Antoinette Harris, uma jovem atleta que se quer tornar na primeira mulher aceite na NFL, comparando o percurso desta com o dos veículos da marca.

A atriz Christina Applegate surgiu numa campanha da M&Ms, enquanto que a estrela da Broadway Kristin Chenoweth promoveu a Avocados From Mexico – sendo a estreia da empresa a ter uma mulher como protgonista – e a atriz Sarah Michelle Gellar surgiu na publicidade da Olay.