Sim, A Sequela de «Chama-me Pelo Teu Nome» Começou a Ser Escrita

Recomendamos a leitura deste artigo ao som de Mystery of Love, de Sufjan Stevens. Por: Cátia Pereira Matos -- Imagem: © D.R

O que é feito de Elio e de Oliver depois daquele verão preguiçoso em Itália que parecia ser eterno? Que rumos tomaram os dois jovens? Possivelmente, as respostas a estas (e outras) perguntas serão reveladas na sequela de Chama-me Pelo Teu Nome (no original Call Me By Your Name), que já começou a ser escrita.

Foi através do Twitter que André Aciman, autor do livro que deu origem ao filme com o mesmo nome, anunciou que se encontrava a trabalhar numa segunda obra. «Adoraria uma sequela de Chama-me Pelo Teu Nome. Na verdade, estou a escrever uma», confirmou o escritor norte-americano.

Milhares de fãs fizeram questão de congratular o autor, e alguns internautas até se chegaram à frente com ideias para o segundo capítulo da história: «Que tenha um final feliz», pediu um utilizador do Twitter; «Adoraria um livro mais baseado na perspectiva de Oliver», sugeriu um outro. Mas a melhor reação ao tweet de André Aciman — que neste momento já regista perto de 50 mil ‘gostos’ e mais de 12 mil comentários — talvez tenha sido a de Armie Hammer, que co-protagonizou a longa-metragem ao lado de Timothée Chalamet.

 

Sim, Hammer (que na película dá vida a Oliver) está tão entusiasmado com esta notícia quanto nós. O ator já por diversas vezes afirmou estar completamente disponível para participar numa possível sequela do filme e Chalamet (que interpreta o jovem Elio) também tem mostrado muito interesse no projeto cinematográfico. «Não consigo imaginar um mundo onde isso não aconteça», disse em outubro à Time, quando questionado sobre as probabilidades de existir um segundo filme de Chama-me Pelo Teu Nome. «Penso que o André [Aciman] está confortável com o desenvolvimento de uma sequela e eu sei que o Luca [Guadagnino, realizador do primeiro filme] quer isso. Eu e o Armie estamos 100% ‘a bordo’».

O livro e o filme

Chama-me Pelo Teu Nome não é o primeiro trabalho de André Aciman mas é, sem dúvida, a obra mais conhecida deste autor. Editado pela primeira vez em 2007, o livro conta a história de Elio, um rapaz de 17 anos que desenvolve uma súbita atração por um estudante universitário sete anos mais velho, Oliver, que conhece, através do pai, durante as férias de verão.

O que começa por ser uma história sobre posse e desejo transforma-se numa profunda e delicada narrativa sobre o amor e a redescoberta da sexualidade, contada do ponto de vista do jovem Elio.

Em 2017, o realizador italiano Luca Gadagnino transformou o romance num filme de sucesso, merecedor do Óscar para Melhor Argumento Adaptado.