Há Uma Razão Científica Para Nos Sentirmos Mais Cansados Na Primavera

A estação das flores traz-nos dias maiores e bom tempo, mas também mais cansaço físico e mental. Por: Rossana Mendes Fonseca -- Imagens: D.R.

Os dias ficam maiores, as plantas florescem e o sol brilha. A primavera chegou. Mas, por algum motivo, sentimo-nos mais cansados, sonolentos e com pouca energia.

A verdade é que estas mudanças climáticas contribuem para esse cansaço. O aumento da exposição solar e da temperatura levam a uma perturbação do ritmo biológico. Esta condição chama-se astenia da primavera.

As causas da astenia da primavera

Este ‘síndrome da primavera’ apresenta vários sintomas, que conjugam reações diferentes do nosso corpo à nova estação. Falta de energia, fadiga muscular, irritabilidade, alterações de apetite ou sono e dificuldade de concentração são alguns deles.

A vasodilatação é provocada pelo aumento da temperatura e faz com que a tensão arterial desça. Essa quebra de tensão prolongada produz uma sensação de debilidade fraqueza e mesmo tonturas.

Além disso a exposição solar tem uma grande influência na produção de hormonas que atuam diretamente nos ciclos de sono e no bem-estar emocional. Já que o nosso sistema endócrino, que é o conjunto de glândulas responsáveis pela segregação de hormonas, está em relação constante com o nosso sistema nervoso.

A duração dos sintomas corresponderá à duração da resposta de reequilíbrio do nosso organismo. No entanto, hábitos da nossa sociedade contemporânea podem intensificá-los ou atrasar esta resposta.

O sedentarismo excessivo, o stress, a desregulação dos níveis de sono e a dieta desequilibrada concorrem para esta falta de vitalidade generalizada. Portanto, é nessas áreas das nossas vidas que podemos ajudar a atenuar esta condição.

A dieta é uma das chaves principais da nossa vitalidade

O bom tempo combina com refeições frescas e cheias de cor. A dieta deve ser variada e equilibrada com alimentos frescos, como a fruta e os legumes saudáveis e ricos em vitaminas e minerais.

Vegetais de folha verde escura e leguminosas são ricos em vitaminas do complexo B, responsáveis por um bom metabolismo e funcionamento do sistema nervoso. Este tipo de vitaminas ajuda na redução do cansaço e fadiga. Algumas frutas, como a melancia, têm níveis de água elevados, o que ajuda a hidratação.

Os frutos secos, como as nozes e a amêndoa, e os cereais de absorção lenta, como a aveia, são alimentos de simples consumo e óptimas fontes de energia.

Deve evitar os alimentos processados, com farinhas refinadas, cheios de açúcar e sal. Estes alimentos produzem uma série de toxinas que o corpo precisa de libertar, usando parte da sua energia vital.

O consumo de água, pelo menos os 1,5 litros aconselhados, é também essencial para uma boa hidratação e vitalidade do corpo. O consumo de água não só é essencial para o aspeto da nossa pele. Beber água faz aumentar a atividade metabólica, ajudando na digestão e, portanto, na atividade interna do organismo.

O exercício físico e o descanso são também chaves para o bem-estar

O exercício físico torna o corpo mais ativo. A sua prática provoca ainda o aumento da produção de endorfinas que ajudam a uma sensação de bem-estar. A própria respiração pode ajudar a acalmar ou a energizar o corpo. Exercícios de respiração completa, do nariz ao abdómen, contribuem para o equilíbrio físico e mental. Como o tempo está melhor, poderá levar estas práticas para o exterior e até para o meio da natureza.

O número de horas de sono e o seu hábito regular é importante para o corpo repor as energias de que necessita. Deste modo, substâncias estimulantes como a cafeína, o tabaco ou o álcool, devem também ser evitadas.