O Plano de Fuga da Rainha Isabel II Tem Mais de 70 anos

Primeiro foi o cortejo fúnebre da Rainha Mãe para o enterro de Lady D, agora um plano de fuga da Guerra Fria. Por: Margarida Brito Paes -- Imagem: ©Gtresonline

Os ingleses são conhecidos por serem pontuais, extremamente pontuais, mas a sua fama de extremamente práticos, e poupados pelo menos no que diz respeito à elaboração de estratégias, tem tudo para ficar na História. Em 1997 quando a Princesa Diana morreu em Paris e a Rainha Isabel II se viu obrigada a dar à nora honras de funeral de Estado, a solução para organizar um cortejo fúnebre histórico passou por utilizar os planos do funeral da Rainha Mãe e adapta-los à morte da jovem e amada Diana.

Agora com a crescente tensão em Inglaterra, provocada pela demora de acordo para o Brexit, a segurança da Família Real foi posta em cima da mesa. Já existe um plano de fuga para evacuar a Rainha de Londres se a situação ficar perigosa, mas mais uma vez os planos não são novos. O documento que dita como, quando e em que condições deve a Rainha sair de Londres, em caso de necessidade, foi elaborado para a Guerra Fria, que teve início em 1947.

Do plano nada se sabe, se não perderia o seu principal intuito que é proteger a Família Real Inglesa. Certo é que será usado apenas em caso de extrema necessidade, lembramos que durante mais de 70 anos nunca foi usado, e que até durante a II Guerra Mundial os monarcas se mantiveram em Londres.