Os Melhores Looks da Passadeira Vermelha do Festival de Cinema de Veneza

Foi assim a semana em Veneza. Imagens: © GTRESONLINE e Instagram

O Festival de Cinema de Veneza termina no dia 7 de setembro e depois de um fim de semana repleto de estrelas, chega a altura de fazer o resumo da semana. A última semana do Festival de Veneza ficou marcada pela presença portuguesa e pela Amazónia na passadeira vermelha.

A Herdade no Festival de Veneza

A Herdade é o filme de Tiago Guedes que se estreou no Festival de Veneza, seguindo depois para o Festival de Toronto. O filme conta a história de uma família latifundiária portuguesa, retratando a sua passagem pelo 25 de abril. O pós revolução provocou mudanças profundas na vida de todos os portugueses, é através da história de uma família que vê a sua condição social profundamente alterada que é feito um retrato do Portugal antes e depois de abril de 1974.


O elenco composto por Sandra Faleiro, Albano Jerónimo, Victória Guerra, Miguel Borges e Beatriz Brás, marcou presença na passadeira vermelha de Veneza. A estreia nos cinemas nacionais será no dia 19 de setembro.

Bárbara Paz levou a Amazónia para as luzes da ribalta

A atriz brasileira Bárbara Paz chegou à passadeira vermelha do Festival de Cinema de Veneza com um cartaz que dizia «I am Amazônia». Uma chamada de atenção para os fogos que continuam a devastar a Amazónia. O pulmão do mundo já viu transformados em cinza cerca de 30 mil quilómetros quadrados, desde meados de agosto.

A atriz estava em Veneza para a apresentação do documentário que realizou sobre o seu marido Hector Babenco, falecido em 2016.

A vida de Chiara deu mesmo um filme

Chiara Ferragni é um nome impossível de ignorar, quando se fala de Moda. Foi Chiara que veio mostrar à indústria da moda a verdadeira influência de uma influenciadora. Primeiro veio o blogue, depois o Instagram, a sua própria marca, inúmeras colaborações e agora um documentário que conta a história completa.

Chiara esteve em Veneza com toda a família para aquela que foi uma verdadeira passadeira vermelha dos tempos modernos, onde as redes sociais ganham cada vez mais terreno.