10 Filmes Que Queremos Ver Nas Salas de Cinema em 2020

Vai querer ter este artigo por perto durante todo o ano. Por: Inês Aparício Imagens: © D. R.

Tão certo quanto um mais um serem dois, é, nos primeiros dias do novo ano que agora começa, escrevermos os objetivos para 2020. Mesmo que percebamos que 365 ou 366 dias não são um ciclo fechado e que, por isso, «ano novo, vida nova» não é mais que uma expressão de esperança, acabamos a planeá-los em todas as suas dimensões (não apenas em 2D, 3D ou Imax). O que significa, claro, que as idas às salas de cinema estão incluídas. Assim, reunimos, em baixo, os filmes de 2020 que vamos querer ver com um balde de pipocas ao colo.

The Rhythm Section

9 de janeiro

Estamos de respiração suspensa, à espera que este filme chegue ao grande ecrã, desde que Blake Lively, a protagonista da película, eliminou todas as publicações da sua conta de Instagram exceto uma: o trailer de The Rhythm Section. Por isso, só fazia sentido que a história de uma mulher que, depois de descobrir que o acidente aéreo no qual os membros da sua família morreram não foi, como inicialmente pensado, uma mera casualidade, estivesse nesta lista.

 

 

Bombshell

23 de janeiro

Margot Robbie, Charlize Theron e Nicole Kidman. Podiam ser apenas estas três atrizes a razão para querermos ver Bombshell. Mas, o filme é muito mais que um elenco de peso. É sobre uma história real e um dos primeiros passos no movimento #MeToo e na longa caminhada por uma igualdade de género na indústria cinematográfica: o alegado caso de assédio sexual de que Roger Ailes, na altura diretor da Fox News, foi acusado.

 

As Mulherzinhas

30 de janeiro

Emma Watson escondeu, pelo Porto e outros pontos do globo, 2.000 livros de As Mulherzinhas. E, enquanto estes foram sendo descobertos, também a história – que, na verdade, é ja um clássico da literatura -, foi (re)descoberta. Do papel, escrito por Louisa May Alcott, foi adaptado à tela, e aí uniu Saoirse Ronan, Florence Pugh, Eliza Scanlen, Timothée Chalamet e Watson.

 

Birds of Prey

6 de fevereiro

Depois de contada a história de Joker – num filme com o mesmo nome que a personagem do universo de Batman, nomeado para um Globo de Ouro -, é a vez de Harley Quinn fazer o mesmo. Em Birds of Prey (E a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn), esta figura, a quem Margot Robbie dá vida, convoca um exército de anti-heroínas que querem ter poder na sua própria narrativa.

 

A Todos os Rapazes que Amei: Ps. Ainda te Amo

12 de fevereiro

A receita da sequela segue os mesmos passos que o original: uma boa dose de romantismo, coberta com uma pitada de humor e as consequências de uma série de cartas enviadas.

Mulan

27 de março

2019 foi um ano de adaptações dos clássicos da Disney a versões live-action e 2020 vai pelo mesmo caminho. Mulan estreia logo em março, nas salas de cinema. Mesmo depois de exigido um boicote ao filme, devido a declarações da protagonista, Liu Yifei, relativamente aos protestos na China.

007: Sem Tempo Para Morrer

9 de abril

A personagem de James Bond pode ter sido escrita «como uma personagem masculina», dizia a produtora executiva de 007, Barbara Broccoli, ao The Guardian. Contudo, neste filme, os planos foram ligeiramente diferentes. É Lashana Lynch quem vestirá a pele do agente número 007. Mas, pode dormir descansada. Esta não irá substituir Bond – papel que estará pela última vez nas mãos de Daniel Craig.

 

 

Emma

16 de abril

O clássico da literatura, escrito por Jane Austen já em 1815, vai ganhar uma nova versão. Depois de adaptado ao cinema em 1996, com Gwyneth Paltrow no papel principal, o romance volta a alcançar o grande ecrã. Desta vez, é Anya Taylor-Joy a protagonista desta película que mostra as dificuldades das mulheres inglesas no início do século XIX.

 

Promising Young Woman

17 de abril

É a vingança que guia a narrativa de Promising Young Woman. Na pele de Cassandra Thomas, Carey Mulligan dá vida a uma estudante de medicina que decide colocar uma pausa na sua vida profissional enquanto despende as noites em bares. É aí que atrai e conhece diversos homens que, depois, tenta punir pelas tentativas de se envolverem com uma mulher aparentemente debilitada – ela própria.


 

Mulher Maravilha 1984

4 de junho

Pelos vistos, não somos apenas nós que mal podemos esperar que este filme chegue ao cinema. Num estudo realizado pela plataforma Fandango, concluiu-se que esta é a película mais antecipada de 2020. E não é para menos. Gal Gadot regressa como Diana Prince, desta vez durante a década de 80, no combate a Max Lord e a Cheetah – e aos shoulder pads, esperemos.