#ELLEstaylocal: Mainova, Uma Marca Surpreendente de Vinho e Azeite Alentejano

Esqueça os vinhos encorpados e pesados que associa ao Alentejo. Por: ELLE Portugal Imagens: © D. R.

A Bárbara Monteiro é a mais nova das irmãs e esta sua condição deu origem ao nome escolhido para a sua marca de azeite e vinho: Mainova. Este é um projeto de família, mas foi Bárbara quem assumiu o comando de criar vinho e azeite biológico no Alentejo. Um desafio que abraçou de alma e coração e que apesar de ter pouco tempo de existência já deu belos frutos, e não foram só os bonitos rótulos da marca.

Bárbara Monteiro, fundadora da Mainova

O que te levou a criar este projeto?

Os meus pais adquiriram uma herdade no Alentejo em 2010, onde plantaram vinha e olival, sempre com o objetivo de produzirem vinho e azeite de qualidade. Com o decorrer dos anos foram vendendo as uvas e o azeite a granel e no ano passado lançaram-me o desafio de criar uma marca própria. Sem pensar duas vezes, larguei o meu trabalho na área da comunicação e dediquei-me a um projeto com dois produtos do qual não tinha muito conhecimento. Sempre fui apaixonada pela terra e pelo Alentejo, aos poucos fui-me tornando uma entusiasta no que toca a vinho e azeite, hoje sou uma apaixonada por estes dois produtos. É extraordinário poder acompanhar e cuidar das videiras e oliveiras, e criar um produto.

Qual é a história por trás do nome?

Eu sou a filha mais nova de três irmãs, e como qualquer filho mais novo, reclamei a minha vida toda por inúmeras razões, como por exemplo por ter roupas e brinquedos sempre em terceira mão. Quando abracei este projeto, e porque não existe a “mainova” sem as mais velhas, acabou por ser o nome que todos nos identificámos.

O que foi mais complicado no processo de criar uma marca?

Criar uma nova marca é um grande desafio, mas criar uma marca num sector maioritariamente de homens é ainda mais desafiante e ambicioso. Acredito que um dos grandes desafios, foi conseguir transmitir as minhas ideias e “toques” mais femininos a produtos, e a uma região, muito associada ao homem.

Qual foi a razão para nunca desistires?

Nunca pensei desistir. Mas o facto de estar a concretizar um sonho de família e poder transmitir nos produtos e embalagens os nossos valores e crenças, fez com que me tornasse cada vez mais fascinada pelo projeto.

Qual foi o melhor momento ou história da marca?

Em termos pessoais, o melhor momento foi quando senti que as minhas ideias estavam a ser ouvidas e compreendidas. Em termos da marca, foi poder relembrar e trazer memórias de membros de família, carregados de história. Como é o caso do cão da minha avó Conceição, que ela apelidou de Moinante – que significa um festeiro/brincalhão, que dorme de dia e de noite está em festa. O Moinante hoje vive na Herdade, tem cerca de 17 anos e tomou um papel principal, que para nós tem um carinho especial pela sua história.

Como é que a tua marca faz a diferença?

A nossa marca, além de produzir produtos naturais de qualidade – o azeite extra virgem é simplesmente sumo de azeite e o Vinho tem pouca intervenção, baixos sulfurosos e são maioritariamente vegan – temos um cuidado especial no que toca à nossa pegada ecológica tanto no campo, como na produção e embalagens. Em termos agrícolas  produzimos em produção integrada e produção biológica, e as nossas embalagens e rótulos são de papel reciclado ou com maior percentagem de algodão, grande parte das garrafas de vinho são 100% recicladas, usamos lacre (cera) para selar as garrafas em vez da cápsula usual, entre outras medidas que tomamos diariamente de forma a sermos o mais sustentáveis possível.

O que ainda falta conquistar?

Tudo. Somos uma marca muito recente no mercado e ainda temos de conquistar as pessoas com os nossos produtos e valores.

O que mais precisas neste momento para chegares onde queres?

Acima de tudo precisamos de continuar com saúde e que tudo volte ao normal. Mas precisamos que as pessoas nos vejam, ouçam e percebam o nosso trabalho minucioso que acreditamos trazer a diferença nos nossos produtos.

Quais os maiores motivos para comprar português?

Eu prefiro questionar, porque não haveríamos de comprar português? O nosso país é maravilho, temos produtos excecionais e lá fora somos cada vez mais reconhecidos por isso. Enquanto nova produtora numa região como o Alentejo, para além da qualidade dos nossos produtos e serviços, é importante para a economia local, contribuindo para o desenvolvimento da região.

Diz-me outra marca/espaço português que te inspire e porquê?

Existem tantas marcas portuguesas que me inspiram. São tantas as marcas que diariamente demonstram o que melhor temos no nosso país, fico muito feliz, por tal como nós, existiram pessoas com a coragem de criarem produtos excecionais.
Mas posso mencionar uma marca em especial, a Nosse Ceramics, uma marca Portuguesa de cerâmica, com peças únicas e que anda muito lado a lado com os nossos valores no que toca à pegada ecológica.
————

#ELLEstaylocal

Apoiar e dar conhecer projetos portugueses é  a missão da rubrica #ELLEstaylocal. Acreditamos que hoje é mais importante, que nunca, comprar português. É importante não deixar que marcas de qualidade se percam na espuma da pandemia.

#ELLEstaylocal: Conscious Swimwear, a Marca Com o Coração Na Sustentabilidade