#ELLEstaylocal: Eattitude, a Marca Que Junta Saúde e Coolness Num Só Pacote

A granola é só o início. Por: ELLE Portugal Imagens: D.R

Foi no primeiro dia de 2017 que Catarina e Tomás Borges de Castro decidiram tomar uma atitude e criar um projeto próprio. Atitude essa que aliada ao seu estilo de vida saudável e gosto pela comida que faz bem ao corpo e à mente, resultou na Eattitude. Falamos de uma marca de granola portuguesa, feita com produtos locais e uma qualidade que só a proximidade, e paixão, pode garantir. Tudo começou numa cozinha mas hoje, passados três anos, já há uma fábrica, e não se engane porque o lado artesanal não se perdeu pelo caminho.

A vontade de levar o gosto pela comida saudável a cada vez mais pessoas, não os deixa parar de pensar na produção de outros artigos alimentares. Este é só um dos muitos sonhos da Eattitude, uma marca portuguesa para conhecer melhor aqui, e saborear em sua casa – nada a impede de fazer estas duas coisas ao mesmo tempo, claro.

Catarina e Tomás Borges de Castro, são os fundadores da Eatitude

 

O que vos levou a quererem entrar/manter este projeto?

A paixão pela alimentação saudável em geral e por granola em particular. A vontade de termos um negócio próprio que espelhasse a nossa forma de estar, e que se traduzisse num estilo de vida mais tranquilo, sustentável e feliz. O facto de sermos completamente apaixonados pela nossa granola. A vontade de mudar o mundo através da alimentação.

Qual é a história por detrás do nome?

Eattitude é uma atitude perante a nossa alimentação, o mundo que nos rodeia e as pessoas que, de alguma forma, influenciamos. Se cuidarmos de nós, do nosso corpo e da nossa mente, alcançaremos um equilíbrio enquanto pessoas que se refletirá em todos os setores da nossa vida, seja o social, profissional, desportivo ou familiar. Acreditamos que somos, de facto, o que comemos. Acreditamos que uma alimentação saudável é a chave para uma vida equilibrada. Este é o nosso manifesto: Ignora o convencional, desliga-te do mais do mesmo.

Se todos tomarmos uma eattitude, a alimentação saudável será cada vez mais uma fonte ACESSÍVEL e SUSTENTÁVEL de saúde para ti e para o nosso planeta. Consome biológico, apoia os produtores locais e independentes, paga o preço justo pelos produtos genuínos; desta forma estás a suportar a transparência e a verdade, estás a valorizar as pessoas, os consumidores, os fornecedores, os produtores, os animais e o planeta. Estás a preferir a qualidade e a saúde, estás a escolher felicidade em vez de lucro. Por isso, come os teus legumes, as tuas frutas, as tuas granolas e sorri todos os dias, por tudo e por nada.

O que foi mais complicado no processo de recriação da marca e dos espaços para clientes?

Este projeto começou na cozinha de nossa casa, em tom de brincadeira. Com o tempo, com o rápido crescimento, quando começámos a profissionalizar a nossa atividade, começámos a sentir a necessidade de nos profissionalizarmos em diversas áreas, algumas desconhecidas até então para nós. Acabámos por entrar em ritmo rápido e com poucos recursos no mundo da indústria alimentar, desde o packaging, marketing, logística e distribuição, implementação de regras de segurança alimentar rígidas nos processos de produção, as importantíssimas parcerias com os fornecedores alimentares, e tudo isto em simultâneo com as inevitáveis horas de produção na cozinha. A maior dificuldade foi conseguir conciliar em tempo útil toda esta atividade e ainda chegar a casa capazes de oferecer tempo de qualidade para a família.

A relação com os clientes acabou por ser um processo natural. Ainda em fase de projeto nós decidimos que a aposta seria em produtos de qualidade e deliciosos, que comunicassem por eles próprios com o público, uma vez que tínhamos recursos limitados para a área de marketing e área comercial. Sempre foram os clientes (público e retalhistas) a querer comercializar os nossos produtos. Nós, em 2 anos, nunca fizemos esforço comercial.

A nossa estratégia inicial foi de encontrar um grande parceiro que apostasse em nós, que nos comprasse o produto, e só então iniciaríamos a atividade. Esta seria a tarefa mais difícil e a porta de entrada neste negócio. E foi o que aconteceu.

Qual foi a razão para nunca desistirem?

Adoramos e acreditamos no que fazemos. Receber feedback de clientes que consideram a nossa granola parte do seu dia-a-dia e assistir ao crescimento do nosso negócio é uma gratificação muito grande. É nestes momentos que olhamos para trás com orgulho e motivação para fazermos muito mais.

Qual foi o melhor momento ou história da marca até hoje?

A abertura da fábrica foi um momento muito especial. Foi uma viragem no modo como abordávamos este projeto. Foi o momento em que deixámos de ser um projeto amador, e passámos a pertencer à indústria agro-alimentar.

A conquista de um great taste award foi uma alegria imensa. Foi um sinal de que tínhamos um bom produto no mercado.

Como é que a vossa marca faz a diferença?

Neste mercado há muita concorrência, mas todos acabamos por ter diferenças significativas entre nós. Nós focamos-nos em três aspectos muito importantes: qualidade do produto, sabor e imagem. Tentamos aliar um design diferente, urbano/trendy, moderno, atual, com um produto saudável e extremamente saboroso. Desta união nasceu um conceito insólito até então: afinal os produtos saudáveis também podem ser saborosos e “cool”.

O que ainda falta conquistar?

Gostaríamos de espalhar o conceito Eattitude, a nossa missão, a todo o setor alimentar, tornando-o mais saudável e mais sustentável. Gostaríamos de criar mais consciência da importância da alimentação nas pessoas em geral, educando-as para um melhor cuidado com eles próprios e com o que consomem. Queremos criar novas gamas de produtos destinadas a setores de mercado mais específicos e abrangentes.

O que mais precisam neste momento para chegarem onde querem?

Temos, e iremos, apostar muito forte na exportação. Portugal é um mercado ávido e em desenvolvimento, mas ainda pequeno comparado com os restantes europeus. Precisamos de consolidar uma estratégia comercial forte com o nosso distribuidor nacional, por forma a chegar a todos os cantos do país e ilhas.

Quais os maiores motivos para comprar português?

Porque é bom! Porque precisamos dos produtores locais para uma maior sustentabilidade do país. Nós damos sempre preferência ao produtor português. Já comprámos aos grandes distribuidores europeus, mas acabámos por voltar aos portugueses, que acabam por dar mais garantia em termos de qualidade.

Porque razão a fruta ou legumes estrangeiros são melhores do que os que são cultivados aqui ao lado? A maioria destes produtos frescos estrangeiros são submetidos a diversos processos de conservação para poder atravessar meio mundo num porão de um avião ou num contentor de carga, para serem vendidos no nosso supermercado da esquina, em regra a um preço mais barato do que o produtor local. Acho que isto diz muito sobre o processo de cultivo e adição de químicos e/ou processos externos aplicados sobre os produtos.

Digam outra marca/espaço português que vos inspire e porquê?

Unii, marca de cosmética biológica, vegan, cruelty free, fair trade, eco e zero waste. É uma marca genuinamente motivada para o bem-estar e saúde das pessoas, dos animais e do planeta. Faz um trabalho espectacular na divulgação de valores de sustentabilidade e os produtos são muito, muito bons.

——-

#ELLEstaylocal

Apoiar e dar conhecer projetos portugueses é a missão da rubrica #ELLEstaylocal. Acreditamos que hoje é mais importante, que nunca, comprar português. É importante não deixar que marcas de qualidade se percam na espuma da pandemia.

#ELLEstaylocal: Fullest, o Grupo Que Nasceu Para Criar Espaços Únicos

 

#ELLEstaylocal:Terra Saboaria Artesanal, Uma Marca Que Protege o Planeta