Mary Poppins Poderá Estar de Volta, e Não Demorará Novamente Mais de 50 Anos

O realizador admite que o filme poderá ser o próximo James Bond ou Star Wars. Por: Inês Aparício -- Imagens: © D. R.

Foram necessárias mais de cinco décadas para que Mary Poppins regressasse ao grande ecrã, desde o lançamento do filme original, protagonizado por Julie Andrews, em 1964. Mas, desta vez, não distará mais meio século entre o próximo retorno da ama mágica.

Descida do céu, Emily Blunt, que dá vida à personagem principal da sequela do clássico da Disney, voltará às telas no papel de Mary Poppins em mais uma sequela do filme. Ainda que seja cedo para avançar uma data — até porque O Regresso de Mary Poppins ainda está nas salas de cinema —, o realizador, Rob Marshall, garantiu que a equipa de produção está já numa fase inicial dos preparativos para a continuação deste. «Estamos ainda no início, mas vou dizer, para já, que existem oito livros, o que significa que existe muito material excelente para explorar», revelou ao jornal The Sun.

Também o produtor, John DeLuca, admite uma terceira parte de Mary Poppins, com Emily Blunt mais uma vez como protagonista. «O rosto de Emily ilumina-se quando se fala sobre isso [uma continuação do filme]. E se as pessoas querem, penso que irá acontecer».

Além disso, o realizador Rob Marshall admitiu que o filme poderia seguir as pisadas de sagas como James Bond ou Star Wars: «Quantos filmes existem de Star Wars? Ou de James Bond? Se existe uma personagem incrível e uma história para contar, porque não [aproveitar e adaptar ao cinema]?».

É de salientar, no entanto, que a Walt Disney, a produtora do filme, ainda não anunciou oficialmente a continuação da história.

Um sucesso de bilheteira

Por detrás da decisão de dar seguimento à história estará o sucesso de bilheteira d’O Regresso de Mary Poppins. De acordo com o jornal Express, numa semana foram alcançados 173.5 milhões de dólares (cerca de 150 milhões de euros) com a venda de bilhetes, dos quais 23,5 milhões de dólares (cerca de 20 milhões de euros) foram conseguidos apenas no fim de semana da estreia nas salas de cinema dos Estados Unidos da América.