Fondation Louis Vuitton Realiza Exposição Dedicada A Charlotte Perriand

Arte, arquitetura e design pelo olhar de uma artista única do século XX. Por: Rossana Mendes Fonseca -- Imagens: D.R.

A Fondation Louis Vuitton irá realizar uma exposição dedicada a Charlotte Perriand, por ocasião do vigésimo aniversário da sua morte, patente entre 2 de outubro de 2019 e 24 de fevereiro de 2020.

A exposição explorará a obra da artista parisiense, que trabalhou ao lado de Le Corbusier e Pierre Jeanneret. Dedicando a sua vida, sobretudo, ao design de mobiliário e à arquitetura do século XX.

Reconstituições do seu trabalho serão apresentadas aos visitantes. Outras obras de arte serão incluídas na exposição de modo a fazer jus à sua visão de uma ‘síntese das artes’. Visão cuja proposta consistia na articulação de vários objetos artísticos, de design e de decoração.

Charlotte Perriand, L’art de vivre

Charlotte Perriand nasceu em outubro de 1903, em Paris. Estudou design de mobiliário na École des Arts Décoratifs, de 1920 a 1925.

Dois anos depois, instalou o seu atelier na zona de Saint-Sulpice em Paris. Participou no Salon D’Autome de 1927. No mesmo ano, começou a trabalhar no estúdio de Le Corbusier, onde permaneceu durante 10 anos. Durante esse período, tomou a ser cargo o trabalho de design de interiores. Colaborando de modo muito próximo com Charles Edouard Jeanneret (ou Le Corbusier) e o seu primo, Pierre Jeanneret.

Depois do estúdio de Le Corbusier, Perriand trabalhou ainda uns anos com Jean Prouvé. No entanto, com a ocupação de Paris em 1940, a designer partiu para o Japão como conselheira oficial de design industrial para o Ministério do Comércio e Indústria. No retorno para a Europa, foi forçada ao exílio no Vietname. Esta estadia no oriente levou-a a uma abordagem filosófica que articulava harmonia, simplicidade e ordem social.

Synthesis of the Arts/Síntese das artes foi o nome que Perriand deu à exposição que produziu num departamento comercial japonês em Takashimaya, em 1955. Apoiada pela Embaixada francesa, a exposição reunia obras de variados artistas franceses que lhe eram contemporâneos. Tapeçarias de Le Corbusier, esculturas e pinturas de Fernand Léger ou peças de mobiliário de Perriand, eram algumas das obras apresentadas.

Charlotte Perriand apresentava na sua obra uma abordagem funcional à criação de espaços habitacionais. Autora do ensaio de 1981, «L’art de vivre/Arte de viver», a artista defendia que um melhor design poderia criar uma sociedade melhor.

A Villa Church, a Villa Savoye, a Cité du Refuge para a Frente de Salvação Francesa e o Pavillon Suisse na Cité Universitaire são algumas das famosas obras da artista.