Afinal, Em 2019 Não Haverá Nenhum Óscar Para Filmes Populares

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas diz ser necessária uma maior discussão sobre o assunto. Por: Cátia Pereira Matos -- Imagem: © GTRESONLINE.

Atualização (7/09)

Parece que em 2019 a cerimónia dos Óscares não vai ser assim tão diferente das anteriores. Sensivelmente um mês após anunciar um novíssimo galardão para premiar filmes populares, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood muda de ideias e decide adiar, por tempo indefinido, a introdução do mesmo.

Em comunciado de imprensa, a Academia responsável pela atribuição das mais célebres estatuetas douradas de Hollywood não só admitiu que implementar qualquer novo prémio nove meses depois do início do ano iria criar desafios para os filmes que haviam sido lançados, como também reconheceu a necessidade de uma maior discussão sobre a nova categoria.

Esta decisão foi motivada pelas críticas que surgiram assim que a Academia anunciou a introdução do novo Óscar, algo que não acontecia desde 2001. Nas redes sociais, alguns internautas consideraram o Óscar para Filme Popular um pretexto para distinguir películas como Black Panther, e também figuras ligadas ao cinema expressaram descontentamente face à introduçao do novo galardão. «O negócio do cinema morreu hoje com o anúncio do Óscar para o filme ‘popular’. Estava com saúde débil há alguns anos. Deixa como descendentes sequelas, sagas e integração vertical», escreveu no Twitter o ator Rob Lowe.

«Houve uma série de reações à introdução do novo prémio e reconhecemos a necessidade de mais discussão com os nossos membros», afirmou Dawn Hudson, diretora executiva da Academia, em comunicado, citada pelo The Guardian. A Academia não especificou nenhuma data para a introdução do novo Óscar.

Original (9/08)

Em 2019, os Óscares terão uma nova categoria, destinada a premiar «filmes populares». A novidade foi divulgada ontem à tarde na conta oficial de Twitter da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, a organização responsável por atribuir as mais famosas estatuetas douradas do cinema, a par com outras duas mudanças, que entrarão em vigor a curto-prazo.

Há 17 anos que a Academia não introduzia um novo Óscar. Estávamos em 2001 quando isso aconteceu. Tratava-se do prémio para Melhor Filme de Animação, atribuído pela primeria vez em 2002, a Shrek.

Sobre esta categoria recém-criada que irá premiar filmes populares ainda não se conhecem muitos detalhes, mas tudo indica que poderá destinar-se aos filmes mais comerciais, vulgo blockbusters, que envolvem geralmente grandes orçamentos e que costumam bater recordes de bilheteiras. É disso exemplo o filme Black Panther, que se estreou em fevereiro, e logo se revelou um sucesso mundial.

A longa-metragem protagonizada por Michael B. Jordan, Chadwick Bozeman e Lupita Nyong’o superou todas as expectativas ao arrecadar, até à data e só nos Estados Unido da América, mais de 700 milhões de dólares (aproximadamente 603 milhões de euros), segundo o site Box Office Mojo. Esta receita faz deste filme da Marvel Studios um dos mais bem-sucedidos financeiramente no continente norte-americano, apenas atrás de Avatar, que gerou 749 milhões de dólares, e Star Wars: o Despertar da Força, que gerou mais de 936 milhões.

A próxima cerimónia de entrega dos Óscares vai acontecer a 24 de fevereiro de 2019 no habitual Dolby Theatre (antigo Kodak Theatre), em Los Angeles. Será a 91ª edição dos prémios mais conhecidos da sétima arte.

Mais mudanças à vista

Desengane-se se pensa que com a criação de uma nova categoria as cerimónias de entrega dos Óscares passarão a ser (ainda) mais longas. Isto porque a Academia das Artes e das Ciências Cinematográficas de Hollywood também anunciou que planeia encurtar o tempo das mesmas: as habituais quatro horas passarão, no máximo, a três, já em 2019. Esta mudança, que provavelmente terá sido motivada pelas baixas audiências da última edição dos Óscares (a menos vista de sempre), certamente fará sorrir os muitos espetadores que se rendem aos bocejos e deixam as cerimónias a meio.

Uma terceira mudança entrará em vigor em 2020. A partir desse ano, inclusive, as cerimónias irão acontecer um pouco mais cedo do que o habitual. E para 2020 a Academia já tem uma data definida: 9 de fevereiro. É anotar na agenda.