Karl Lagerfeld Morreu Hoje aos 85 anos

O designer que reinventou a Chanel morreu hoje em Paris. Imagem: © gtresonline

O diretor criativo da Chanel morreu esta terça-feira, 19 de fevereiro, aos 85 anos , em Paris. Karl Lagerfeld foi responsável pela reinvenção da Chanel, onde ocupava o cargo de diretor criativo desde 1983 . Além deste cargo Karl tinha ainda a sua própria marca e estava à frente da Fendi .

No último desfile apresentado por Karl Lagerfeld, no dia 22 de janeiro, Karl não foi à passerelle agradecer o desfile, alegando que não se estava a sentir bem. O designer faleceu vítima de doença prolongada, alegadamente estaria internado no Hospital Americano em Paris desde ontem.

«Graças ao seu génio criativo, generosidade e intuição excepcional, Karl Lagerfeld estava à frente do seu tempo, o que contribuiu muito para o sucesso da Chanel em todo o mundo. Hoje não perdi apenas um amigo, mas perdemos todos uma mente extraordinariamente criativa a quem eu dei carta branca para reinventar a marca no início dos anos 80», disse Alain Wertheimer, CEO da Chanel em comunicado.

As últimas coleções desenhadas pelo punho de Karl serão apresentadas durante as próximas semanas. A coleção da Fendi tem apresentação marcada para dia 21 de fevereiro, em Milão, e a Chanel tem o Grand Palais, reservado para dia 5 de Março, e Paris.

O designer tinha ainda anunciado, no final de janeiro, uma colaboração entre a marca sua homónima e Carine Roitfeld.

De Hamburgo para o Mundo

Karl Lagerfeld nasceu em Hamburgo, em 1933, e o seu verdadeiro apelido escreve-se Lagerfeldt, mas o designer retirou-lhe o ‘T’, quando começou a trabalhar na indústria da Moda, por achar que assim soava mais comercial. Os seus pais eram Christian, um homem de negócios alemão, que ficou rico por ter sido o primeiro a comercializar leite condensado na Alemanha, e Elizabeth, que era sueca, extremamente religiosa e tocava violino.

Aos 14 anos Lagerfeld mudou-se para Paris para estudar desenho e história, tendo depois do curso estagiado com Pierre Balmain, depois nunca mais largou a moda. Karl era conhecido pela sua criatividade inesgotável, o criador estava sempre a desenhar, as suas ideias passavam todas para  papel, e era através das suas ilustrações que as costureiras da Chanel se guiavam. Foi em 1983 que foi nomeado diretor criativo da Chanel, tendo mudado para sempre a casa de moda mais famosa do mundo. A reinvenção constante do tweeds, pérolas e casacos de bolsos de chapa, com o ‘C’ interligado nas etiquetas, tornou-o num dos nomes mais reconhecidos da História da Moda. Karl, tal como Coco, passou a ser sinónimo de Chanel, antes de qualquer outra coisa.

Mas não foi só desta casa de moda francesa que se fez  a vida do Kaiser: o designer passou no início da carreira pela Charles Jourdan e Valentino, em 1967 juntou-se à Fendi, depois à Chloé e em 1994 fundou uma marca em nome próprio, que em 2005 vendeu à Tommy Hilfiger.

Um talento muito além do design

O génio de Karl e muito além da roupa. Lagerfeld era moda em todo seu espírito, além do desenho, também a fotografia fazia parte dos muitos talentos de Karl, que editou vários livros ao longo da vida, e foi o homem portarás da lente de várias campanhas de moda.

O homem das luvas pretas e leque branco sabia melhor que ninguém que a moda era muito mais do que um cortejo de vestidos bonitos, e por isso dava espetáculos como ninguém. Os desfiles da Chanel, há muito que não eram meras apresentações de propostas para as próximas coleções. A Chanel de Karl tornou-se sinónimo de cenários megalómanos: um icebergue gigante para a apresentação de inverno 2010, um supermercado com mais de 500 produtos com o logo da Chanel em 2014, um foguetão e uma Torre Eiffel em 2017 e a lista continua.

Depois de Coco volta a ser uma mulher à frente da Chanel

Quando faltaram as forças a Karl para agradecer as palmas do publico em janeiro deste ano, o nome em quem depositou toda a confiança para o representar foi o de Virgine Viad. A francesa tem sido ao longo dos últimos 30 nos colaboradora mais próxima de Karl, e por isso ninguém estaria melhor preparado para o suceder. Tendo em conta o seu grande conhecimento e longos anos de trabalho ao lado do Kaiser Virginie foi nomeada diretora criativa da Chanel, como é referido em comunicado oficial.