Jornalistas Considerados «Guardiões da Verdade» São a Figura do Ano da Time

Jamal Khashoggi, Maria Ressa, o The Capital Gazette, Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram distinguidos pela revista. Por: Inês Aparício -- Imagens: © D. R.

Num ano em que as chamadas «fake news» dominam a atualidade e tentam descredibilizar o trabalho dos jornalistas, ao mesmo tempo em que se bate o recorde do número de repórteres atrás das grades em vários pontos do planeta — o Comité para a Proteção dos Jornalistas registou 262 jornalistas presos durante o exercício da sua profissão na última investigação que desenvolveu, datada de dezembro de 2017 —, a revista Time escolheu vários jornalistas, considerados «guardiões da verdade», como Figura do Ano.

O título reconheceu esta terça-feira, 11 de dezembro, Jamal Khashoggi — recentemente assassinado no consulado da Arábia Saudita na Turquia, por alegadamente criticar, numa coluna que escrevia mensalmente no jornal The Washignton Post, as políticas empreendidas pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman —, Maria Ressa — fundadora do site noticioso Rappler, que revelou as execuções extrajudiciais do presidente Rodrigo Duterte —, e os profissionais do Capital Gazette e da agência Reuters — em especial Wa Lone e Kyaw Soe Oo, que estão presos (a pena é de sete anos) por noticiarem o massacre em Myanmar — como protagonistas da edição especial da revista Time de fim de ano.

Para justificar esta seleção, a Time sublinha «os riscos tomados para perseguir a maior das verdades e a imperfeita, mas essencial, busca por factos». A publicação norte-americana frisou ainda que, «em 2018, os jornalistas tomaram nota do que as pessoas diziam e do que as pessoas faziam. Quando essas duas coisas diferiam, eles também tomavam nota. O ano não trouxe grandes mudanças no que eles fazem ou como o fazem. O que mudou foi o quanto isso importa».

Múltiplas personalidades do ano numa única capa

Esta não é a primeira vez que a revista escolhe um grupo como Figura do Ano. Em 2017, a Time distingui o movimento #MeToo, que fez milhares de pessoas quebrarem o silêncio. Figuras de Hollywood como Ashley Judd e Taylor Swift; a ex-engenheira da Uber, Susan Fowler; Isabel Pascual, que trabalhava na apanha de morangos; e ainda a ativista responsável por criar o #MeToo, Taran Burke, surgiram na capa da revista.

Também em 2005, Bill e Melinda Gates foram eleitas Figura do Ano. Em 1983 foi a vez de Ronald Reagan e Yuri Andropov, e, anteriormente, em 1968, William Andres, Frank Borman e Jim Lovell, apareceram na capa da Time.