Captain Marvel Junta-se À WNBA Para Mostrar «O Que Torna Uma Super-Heroína»

A campanha de empoderamento feminino antecipa a estreia do filme, que chega ao grande ecrã a 8 de março. Por: Inês Aparício -- Imagens: © D. R.

«Todos temos algo por que lutar e que nos torna poderosos», independentemente da idade, género, orientação sexual ou etnia, sendo um herói da ficção ou um ser humano real. É esta a mensagem da mais recente campanha publicitária do filme Captain Marvel, em parceria com a WNBA (Women’s National Basketball Association), a liga profissional de basquetebol feminino norte-americana, que quer mostrar às mulheres que têm a força e coragem necessárias para serem super-heroínas.

Em antecipação da estreia da película – que chega às salas de cinema no dia da mulher, 8 de março – e promoção da nova temporada de WNBA, a Marvel e a liga profissional feminina criaram um vídeo de 30 segundos que prova que «nem todos os heróis usam capa» e podem estar dentro de um campo de basquetebol. O anúncio What Makes a Hero (numa tradução livre, O que torna um super-herói) junta Brie Larsen, a atriz que dá vida à protagonisa do filme, a basquetebolistas como Diana Taurasi, Sue Bird e A’ja Wilson para inspirar o sexo feminino a ter a coragem de ser o que quiser.

«Mulheres como a personagem Captain Marvel e as nossas jogadoras da WNBA definem e inspiram a nossa própria versão de super-herói no seu dia-a-dia através da velocidade e poder», afirmou Christy Hedgpeth, a diretora de operações da WNBA, em declarações ao Bustle. «Quer seja através do desporto ou esforçando-se para ser o melhor que conseguirem na comunidade, as nossas atletas são exemplos inspiracionais de heróis do quotidiano», completou.

Um crescente empoderamento feminino no desporto

As vozes que dão força às mulheres no universo desportivo soam cada vez mais alto. Prova disso foi o destaque feminino nos anúncios durante a final da Super Bowl, nos quais as mulheres foram as estrelas. De acordo com os dados revelados pela empresa de pesquisa ABX, citada pela Euronews, a quantidade de protagonistas femininas nestas campanhas passou de 34% (no ano anterior) para o dobro.