Forbes Vai Mudar os Critérios de Seleção Para os Seus Rankings Serem Paritários

Uma decisão polémica que ficou ainda pior depois das declarações do diretor da revista. Imagem: D.R

A única mulher na lista da Forbes de líderes mais inovadores é Barbara Rentler, a CEO dos armazéns americanos Ross Stores. O facto da lista ser composta por apenas uma mulher gerou uma enorme polémica e os critérios de decisão destes rankings começaram as ser postos em causa. Agora o diretor de conteúdos da Forbes vem dizer que as normas para a seleção de pessoas para estes rankings será revista.

Depois das acusações de descriminação Randall Lane, diretor de conteúdos da Forbes, escreveu uma declaração em que justificou o sucedido. Apesar de reconhecer que a ausência de mulheres é um motivo para a revista repensar os seus métodos, Randall declarou que o problema da falta de representatividade das mulheres era um problema social, e que as listas da Forbes eram um reflexo disso. «As mulheres, como todos sabemos, estão pobremente representadas nos cargos de topo das grandes corporações (apenas 5% do S&P 500) e ainda pior nas empresas publicas de tecnologia. Por outras palavras, para toda a nossa metodologia cuidadosamente calibrada, as mulheres nunca tiveram muitas hipóteses», disse no Twitter.

Listas da Forbes mais paritárias

Agora o diretor de conteúdos da Forbes veio anunciar através do Twitter que as regras de seleção das listas da Forbes vão ser repensadas de forma a serem mais paritárias. «Na sequência dos nossos erros com a lista de Inovadores, pedi à Caroline L. Howard para liderar uma equipa para nos aconselhar como podemos garantir que as nossas listas e projetos sejam mais justos», escreveu Randall no Twitter.