Os Segredos Para Conseguir Um Sorriso Saudável e Consequentemente Perfeito

Há uma fórmula para alcançar o sorriso perfeito? Por: Carolina Adães Pereira Imagens: Frederic Azler, © D. R.

Numa época em que os apelos por um conceito de beleza plural e inclusivo continuam a ser reivindicados, a sociedade mantém uma visão (e uma aplicação) do politicamente correto no que diz respeito ao corpo, incluindo os dentes.

A perfeição de um sorriso real

Em maio de 2019, a indústria da maquilhagem ficou em alvoroço com o lançamento da gama de batons da Gucci. Esta aventura pelo universo da beleza não é propriamente uma novidade para a marca italiana: as referências de perfumaria estão presentes em todas as lojas da especialidade e a estreia na maquilhagem aconteceu na primeira década dos anos 2000, com Pat McGrath como diretora criativa. Entretanto, a maquilhadora criou a sua própria marca (que está avaliada em mais de mil milhões de dólares) e o tema maquilhagem caiu no esquecimento na sede da Gucci… Até agora. Claro que este regresso foi feito com pompa e circunstância: uma coleção de 58 batons, de diferentes acabamentos e com todas as cores possíveis e imaginárias. Para acompanhar este lançamento, foi criada uma campanha com quatro criatividades diferentes de planos próximos de bocas de modelos e um spot com uma estética inspirada nos anos 80. «A ideia da campanha é a de criar uma representação próxima da realidade com um ponto de vista humano, por mais estranho que seja. Mas ser estranho é ser humano, por isso é bonito», afirmou Alessandro Michele, diretor criativo da marca, em comunicado aquando ao lançamento.

Uma das quatro modelos protagonistas é Dani Miller, vocalista da banda punk rock Surfbort, conhecida pelos espaços que tem entre os dentes. O sorriso rasgado que exibe na campanha fotografada por Martin Parr deu origem a muitos comentários positivos e motivadores, mas também recebeu reações menos positivas por parte do público. O argumento de que a imagem era feia e, por isso não era apelativa para efetuar a compra dos batons, foi utilizado de forma repetitiva. Miller posicionou-se em entrevista à revista norte-america – na Glamour afirmando que esperava que «o anúncio inspire, e tranquilize, as pessoas em todo o mundo a encontrarem confiança e a saberem que não há problema em serem elas mesmas». «Deixem de lado as pressões dos conceitos de beleza e perfeição tradicionais. As vossas características únicas são poderosas e bonitas. Ignorem os inimigos. Abracem a vossa loucura interior, o vosso eu autêntico. Vocês são muito bonitas e estrelas brilhantes, e nunca mais precisam de se esconder ou de se sentir deslocadas», conclui.

Esta mensagem de esperança e aceitação vai ao encontro do momento que estamos a viver: a indústria está a fazer um esforço para adaptar o seu vocabulário a uma linguagem mais inclusiva de modo a que os seus consumidores – que se multiplicam em formas e feitios – consigam identificar-se com as marcas. No entanto, a reação negativa é fruto de valores culturais e de padrões de beleza enraizados na nossa sociedade como um todo. Afinal, o que define o que é um sorriso bonito ou feio? Quem disse que os dentes estranhamente direitos, juntos e incrivelmente brancos são o sonho de toda a gente? Não sabemos. No entanto, acreditamos que o segredo para um sorriso lindo não é a perfeição, é o cuidado de que ele é alvo. Sim, percebeu bem: uma boa saúde oral é o segredo para um sorriso bonito. Como tal, voltamos aos básicos e fazemos uma revisão aos cuidados de higiene dentários.

A escova certa

A escolha dos instrumentos diários corretos é muito importante para uma limpeza bem-sucedida. Não há uma regra no que diz respeito à escolha da escova: se preferir manual, tem de ter atenção «às cerdas, que devem ser suaves e com as pontas arredondadas para não haver trauma dos tecidos adjacentes aos dentes», explica Inês Argolinha, médica dentista do Instituto Universitário Egas Moniz. No entanto, tenha presente que a escova de dentes elétrica «permite, com pouco esforço, uma escovagem e um polimento dentários excelentes, havendo menor acumulação de resíduos alimentares na superfície dentária. A escova de dentes elétrica acaba por ser altamente e eficaz, e os seus benefícios comprovam-se quer a nível clínico quer pela própria pessoa que a utiliza», conclui. As escovas elétricas têm plástico na sua composição, inevitavelmente. Já há opções manuais em materiais amigos do ambiente. Se optar por estas escovas, precisa apenas de ter mais atenção e cuidado com a sua utilização.

O momento de seleção da pasta dos dentes pode ser arrebatador devido à quantidade de oferta que existe. A pessoa indicada para lhe dizer sempre qual é o dentífrico adequado para si, para os seus dentes e para as suas gengivas é, sem dúvida, o seu dentista. «No entanto, se a escovagem (processo mecânico) não for correta e metódica, de nada serve termos uma pasta de dentes diferenciada», alerta Argolinha. Na dúvida, «para a grande maioria dos adultos saudáveis, indicamos uma pasta de dentes com 1450 ppm NaF ( flúor)», esclarece a médica dentista. É esta a referência que deve procurar nas pastas dentífricas antes de as adquirir.

Como escovar os dentes

Devemos lavar os nossos dentes, pelo menos, duas vezes ao dia, dando sempre primazia à escovagem da noite. Aliás, a escovagem da noite é fundamental e talvez o passo mais importante de todos. Apesar de falarmos deste tópico desde sempre, a verdade é que ainda é comum cometermos vários erros neste processo tão necessário, como por exemplo «escovar com demasiada força, não escovar zonas fundamentais como as zonas cervicais dos dentes (junto à gengiva) e a língua», afirma a dentista. «Outro erro crasso é o de parar de escovar quando a gengiva sangra. Se tiver um sangramento gengival, este, muitas vezes, deve-se à inflamação dos tecidos à volta dos dentes e é causado por acumulação de restos alimentares e consequentes bactérias», destaca a profissional. Como tal, antes de escovarmos os dentes, devemos passar o fio dentário e/ou o escovilhão.

Em caso de dúvida, procure criar um ritual de limpeza para garantir que esta é bem executada. Inês Argolinha ajuda-nos: «Esta escovagem deve ser sequencial, de maneira a que não nos escape nenhuma zona, por exemplo, iniciar a escovagem pela arcada superior e só depois a arcada inferior, o lado direito e só depois o esquerdo.» Além da criação de um padrão-sistema, pode também auxiliar-se com algo sonoro, como um cronómetro ou um alarme que avisa quando está na hora de mudar de lado.

Branquear ou não branquear: Eis a questão!

«Essa é uma questão que os pacientes me fazem regularmente», diz Argolinha. O esmalte dos dentes mais brancos também é socialmente associado a um sorriso mais agradável. «Os produtos encontrados nos supermercados não são, na sua maioria, verdadeiros agentes branqueadores, mas sim, produtos abrasivos que removem os pigmentos superficiais e que, inclusive, com o tempo, acabam por desgastar o esmalte dentário. Com a utilização regular destes produtos, muitas vezes pode acontecer o escurecimento dos dentes, pois acabamos por ter cada vez menos esmalte e mais dentina exposta», alerta a profissional. Se quiser ter uns dentes mais brancos, aborde o seu dentista para perceber como conseguirá fazê-lo num consultório médico. «O branqueamento feito com produtos fornecidos pelo seu médico dentista é muito seguro e bastante eficaz. Este branqueamento não ocorre apenas superficialmente, mas intrinsecamente, alterando a cor base dos dentes, não havendo qualquer tipo de desgaste dentário», refere.

Toda a ajuda é bem-vinda

«A escova, por muito boa que seja, não remove os restos alimentares nos espaços interdentários», alerta a médica dentista. Para esta ajuda extra, podemos recorrer aos escovilhões e ao fio dentário. «Quando temos espaços grandes entre os dentes, devemos utilizar o escovilhão, mas quando os espaços estão fechados e temos uma papila gengival saudável, é mais indicada a utilização de fio dentário», conclui. Atenção: a mesma pessoa poderá precisar usar fio dentário numas zonas e o escovilhão noutras: tudo depende do tamanho dos seus espaços. Além destes instrumentos, há outros produtos que podem ser vistos como um complemento à limpeza dentária, como os elixires e os colutórios. «Hoje em dia, aconselha-se a não utilização deste tipo de produtos no dia a dia a pessoas com uma boa saúde oral», afirma Argolinha. «No entanto, se a pessoa fizer muita questão de usar, deve escolher produtos sem clorhexidina (CHX), de maneira a evitar a pigmentação dos tecidos na cavidade oral e alterações de paladar. Devemos também comprar produtos sem álcool na sua composição», alerta a médica dentista. Contudo, é preciso ter sempre presente que cada caso é específico e que as visitas regulares ao médico dentista são benéficas e necessárias.

A moldura perfeita 

Com os dentes cuidados, o passo final para um bom sorriso são os lábios, claro. Devemos seguir três passos: esfoliar, hidratar e “decorar”. Independentemente de usar ou não batons com cores fortes, os lábios secos não são confortáveis nem bonitos. Procure usar um esfoliante labial que tenha uma textura fina e suave. Se fizer a esfoliação no período noturno, siga este passo com uma máscara para hidratar intensamente os lábios. A hidratação deve ser continuada durante o dia com a aplicação de um bálsamo em quantidades generosas. Se estiver a sentir-se ousada ou se simplesmente gosta de usar tons fortes no dia a dia, vai ver que aplicar um batom de cor ou até mesmo um lip gloss para um acabamento molhado, vai ser muito fácil e o resultado fica muito mais bonito.

 

Veja na galeria, acima, algumas sugestões.

 

 

Este artigo foi originalmente publicado na ELLE de abril.