Devia Mesmo Pensar em Adicionar Um Sérum à Sua Rotina de Beleza

Um passo simples que faz toda a diferença nos resultados finais. Por: Inês Aparício Imagens: © D. R.

Há três peças cruciais neste puzzle que é a rotina de beleza: limpeza, hidratação e proteção solar. No entanto, não é por acaso que existem dezenas de produtos diferentes, centenas de fórmulas díspares e milhares de opções no mercado. Uma delas é o sérum, um passo que, ainda que não seja considerado vital para um cuidado básico com a pele (que inclui apenas aqueles três momentos), torna-se indispensável «a partir do momento em que a pele começa a envelhecer ou que as pessoas estão mais sujeitas, nomeadamente a nível das cidades [onde a poluição e o stress tendem a ser maiores], a ambientes contundentes», explica a dermatologista Leonor Girão, em entrevista à ELLE.pt. «O sérum tem uma função, a de melhorar a qualidade da pele e, portanto, se existem condições em que isso é necessário, devemos utilizá-lo», adiciona.

E quando é isso? Cada um é que sabe – ou não teríamos nós vidas, necessidades e objetivos tão distintos. Sem um número mágico para tirar da cartola, a coordenadora do Grupo Português de Dermatologia, Cosmética e Estética garante, apesar disso, que «quanto mais cedo aplicar os séruns, melhor». «Mais antioxidantes nos podem ajudar no dia-a-dia a combater esse processo oxidativo a que estamos sujeitos», acrescenta.

Geralmente em fórmulas mais aquosas ou em gel (dependendo dos ingredientes incluídos), este tipo de produtos tem elevadas concentrações de princípios ativos e, ao penetrarem mais profundamente na pele, acabam por conferir resultados que mesmo os seus cremes preferidos nunca conseguiriam atingir. Mas para que isso aconteça deve, antes de mais, limpar a pele, pois, ao ser o primeiro a ser absorvido, vai «potenciar os resultados dos cremes hidratantes».

Mais vale só

Ainda que o sérum corte a meta, por norma, em segundo lugar – imediatamente depois da limpeza do rosto e antes de passar o testemunho ao hidratante -, este pode fazer parte de uma equipa de um homem só. Tendo em conta que são soluções mais aquosas e, consequentemente, menos espessas, também podem ser indicadas – ou mesmo «excelentes», como sublinha Leonor Girão – a solo para quem tem a pele (mais) oleosa, sem ser necessário adicionar um creme ou protetor solar de seguida.

Também no verão, numa estação em que as temperaturas são maiores e, naturalmente, transpiramos mais, é colocada na mesa a opção de aplicar o sérum e, posteriormente, apenas um filtro solar. De manhã, «pode ser um hábito simples», refere a dermatologista.

Quando usar

Por esta altura do texto, já deve ter percebido que pode (e deve) colocar este tipo de produto depois de limpar a pele e antes de colocar o hidratante e/ou o protetor solar. Porém, o momento do dia em que é mais indicado aplica-lo pode ser ainda uma incógnita para si. Mas já esclarecemos.

De acordo com a profissional de saúde, tudo «vai depender sobretudo dos ingredientes». Ou seja, se um sérum tem uma maior concentração de antioxidantes, por exemplo, foi desenhado para a manhã, «que é quando vai estar sujeito ao meio ambiente de uma forma mais agressiva». Já outros, com uma capacidade mais renovadora – como são caso os que incluem retinol na constituição -, em que se pretende, não só regenerar a derme, como restruturar o colagénio e a elastina, devem compor a equipa de beleza da noite. Por fim, Leonor Girão aponta a utilização de produtos com ácido hialurónico, quer de manhã, quer de noite, por serem mais humectantes.

Claro que o disclaimer habitual mantém-se: «quando se compra os produtos, deve haver um aconselhamento indicado por um profissional de saúde», alerta a dermatologista. «As substâncias, individualmente, são ótimas, sobretudo se as usarmos com as concentrações e estabilidade própria para serem eficazes ao nível da pele. Mas, se forem demasiado cumulativas, podem realmente provocar irritações», completa.

Na galeria, em cima, reunimos algumas opções para diferentes tipos de pele e contextos.