12 Sabonetes Líquidos Para Que Lavar as Mãos Seja Mais do Que Uma Obrigação

E se torne num momento de prazer. Por: ELLE Portugal Imagens: © D. R.

E entre os dedos. E na parte de cima. E junto ao pulso… Lavar bem as mãos deixou de ser apenas um gesto comum de higiene e tornou-se um ato de saúde pública. Uma responsabilidade individual em nome do bem-estar coletivo.

Temos a sensação de que já lavámos mais as mãos nestes últimos meses do que no resto das nossas vidas, o que provavelmente é verdade. E como a regularidade desse gesto não vai abrandar tão cedo – é uma das medidas essenciais na prevenção da propagação do vírus e, como tal, é para manter no próximos tempos – temos de o tornar o mais agradável possível.

Um momento de prazer

Com bons aliados, pode mesmo tornar-se num momento apetecível. O ritual de como lavar adequadamente as mãos já todas conhecemos, uma vez que tem sido amplamente divulgado. O que deixamos aqui são três dicas para que uma mera necessidade sanitária se transforme num momento de prazer.

O aroma. Apesar de, em certas condições, ser necessário utilizar um desinfectante forte, no dia-a-dia, o nosso melhor aliado é um bom sabonete líquido. Bom no sentido em que tenha elementos hidratantes que evitem que as mãos sequem. E bom no aroma. Claro que, quanto maior for a qualidade dos óleos utilizados na aromatização do sabonete, melhor. Como é um ato que vai ter de repetir inúmeras vezes, opte por um aroma que goste verdadeiramente: floral, cítrico, amadeirado. As opções são imensas e, dependendo da concentração, não precisa de utilizar uma grande quantidade. Para não se cansar da fragrância (mesmo que goste especialmente dela), recomenda-se que tenha dois ou três sabonetes líquidos a uso e os vá alternando. É óbvio que os sabonetes sólidos também são excelentes, mas numa altura em que temos de lavar as mãos tantas vezes por dia, os líquidos tornam-se mais fáceis de usar e não exigem qualquer tipo de manutenção.

A temperatura da água. Nunca deverá estar demasiado quente. Uma temperatura demasiado elevada agride a pele delicada das mãos que já está exposta a muito “stress” ambiental. Morna, quase fria, é a melhor alternativa. Ou fria, que até é agradável quando o tempo fica mais quente.

O pós-lavagem. Mesmo que o sabonete líquido tenha um bom nível de hidratação, nada substitui a utilização de um bom creme de mãos que pode – ou não – ter o mesmo aroma que o sabonete líquido.