#ELLEbeautyclub: E a Miss Universo dos Blushes é…

Uma odisseia chamada maquilhagem e o produto que dizem ficar bem a toda a gente. Por: Carolina Adães Pereira Imagens: © D. R.

Blush não é a minha cena. Não sei quantas vezes proferi esta afirmação nos meus 28 anos de vida. Para cima de mil, com certeza. Mas é verdade: nunca consegui incluir o blush na minha rotina de maquilhagem, ou não consegui de uma forma natural; este era daqueles produtos que eu achava que não eram para mim. Quando era mais nova, a minha mãe costumava dizer que eu ficava “rosadinha” com facilidade. Se estava contente, as minhas bochechas anunciavam-no ao mundo. Se estava envergonhada, as minhas bochechas anunciavam-no ao mundo. Se estava zangada… bem, as minhas bochechas, os meus olhos, a minha voz… toda eu anunciava ao mundo, mas isso é outra conversa.  

Na adolescência, quando vi que as minhas amigas começavam a usar maquilhagem, fui pedir ajuda à minha mãe, porque queria também maquilhar-me. A resposta dela foi: “porquê filha? Não precisas de te pintar, tu já és rosadinha”(inserir emoji a revirar os olhos). Em retrospetiva, percebo que o que a minha mãe queria dizer era: “porque estás a fazer-me esse pedido, Carolina? Logo eu que só usei base duas vezes na minha vida toda [no casamento dela e no casamento do meu primo, no ano passado, porque a obriguei] e o único produto de maquilhagem que comprei em toda a minha vida foi um lipgloss transparente”. Mas, no alto dos meus 15 anos, fiquei a pensar que tinha nascido com blush embutido. E no tudo de bom que isso tem… E, principalmente, no tudo de mau, também.

Youtube: a escola de maquilhagem de toda uma geração

Nesta mesma altura, dediquei-me aos tutoriais do Youtube para aprender um pouco sobre maquilhagem e skincare, dado que a minha progenitora não podia ocupar esse cargo por falta de experiência. E completamente influencidada pelas youtubers (alguém aí ainda se lembra quando a Ingrid Nilsen era a MissGlamorazzi? Ai… que saudades dos users estranhos no início do Youtube!), comprei alguns produtos que via sempre por lá: o bronzer Hoola da Benefit (continua a ser um favorito), o batom Snob da MAC (um momento menos bom desta minha caminhada pelo universo da beleza. Não me julguem, por favor. Era nova e não sabia melhor) e o blush Orgasm da Nars. Eu, Carolina, que usava demasiado bronzer e tinha as bochechas vermelhas o tempo inteiro, comprei o Orgasm.

O meu primeiro blush

Lembre-se, eu tinha um blush natural: aplicar um produto com cor nas minhas bochechas fazia-me parecer um palhaço e não no bom sentido, tipo fofinho. Não. Era mesmo só feio. Aliás, sempre me mantive afastada dos blushes por causa desse motivo, até este. Não consigo explicar esta compra de outra forma a não ser sentir uma forte atração pela cor. É a simbiose perfeita entre o rosa, tons de pêssego com um brilho dourado lindo para finalizar. Isto tudo e porque vi no Youtube, claro. Mas sim, este é o tipo de produto que pode inspirar poemas e eu sei que não sou a única que se sente assim. Este é um dos bestsellers da Nars desde o seu lançamento há 20 anos e é conhecido por ser um produto universal: fica bem a toda a gente, mesmo quando tens aquele rubor, como eu tinha aos 15 anos. Se houvesse uma competição pelo blush mais universal, este receberia a coroa de Miss. O brilho subtil é o elemento que o distingue dos demais por criar um look bem natural. É quase como um pôr do sol de um dia de verão no teu rosto.

Com os anos, já fui incluindo mais alguns blushes na minha gaveta da maquilhagem. Em creme, em bastão ou em pó, já consigo trabalhar bem com qualquer textura e com algumas cores sem ser este resultado mais natural, até porque o blush embutido alterou-se para algo sazonal (obrigada, protetor solar diário). O que não se alterou foi a minha relação com o Orgasm; posso ficar uns tempos sem o usar e deixá-lo esquecido na gaveta, mas sei que mais tarde ou mais cedo volto a usá-lo, principalmente se as temperaturas de verão chegarem. Algo que também não foi alterado é o facto de a minha mãe dizer que estou “pintada” quando me maquilho. Sou a única que se irrita profundamente com isto?

Blush no tom Orgasm, €35,90, Nars em sephora.pt