#ELLEBeautyClub: Usar ou Não Usar Desodorizantes Naturais, Eis a Questão?

A nossa Editora de Beleza trocou o desodorizante "normal", por um natural, e partilhou connosco a experiência. Por: Carolina Adães Pereira Imagens: © Unsplash e D.R.

Decidi fazer da quarentena um período produtivo. Aproveitei para testar vários produtos e mudar alguns hábitos. Um deles estava a adiar há meses e achei que era o momento de lhe dar uma oportunidade. Sim, falo dos desodorizantes naturais. Porque demorei tanto tempo a fazer esta experiência? Por medo, confesso. Tudo o que li sobre o assunto avisava que encontrar um produto que fosse adequado para mim e para as minhas necessidades podia demorar meses. Mas, confinada em casa, não tinha desculpas: se cheirasse menos bem, não tinha ao pé ninguém para me olhar de lado.

Depois de algumas pesquisas e de me aconselhar com amigos que dominam o tema, comecei a minha experiência com o desodorizante Jardins Citrinos da Coslys. Com 99% dos ingredientes naturais, é devido à combinação de alúmen de potássio e fermentos naturais que o odor da transpiração é neutralizado. Poderia dizer-vos que os primeiros dias foram intensos, que o período de adaptação foi algo complicado, mas estaria a mentir. Penso que, pela primeira vez na minha vida, fui abençoada com a sorte de principiante. É como se não tivesse mudado de desodorizante.

Passou um mês e três dias desde que comecei a usar e a experiência tem sido muito positiva. Como o nome indica, o
aroma a citrinos é forte mas, ao contrário do que pensei na primeira vez que o utilizei, o cheiro não incomoda ao longo do dia. As axilas não ficam secas e não há cheiros desagradáveis. E essa é a única coisa que interessa quando o assunto é desodorizantes, certo? Socialmente falando, claro. Sinto que este é um bom primeiro passo no universo dos desodorizantes com ingredientes naturais para quem tem receio de se aventurar no incerto e não, não sinto falta do meu spray normal.

Veja na galeria, a nossa #DicaELLE de produtos a testar:

 

 

Este artigo foi originalmente publicado na ELLE de junho/julho 2020.