Segundo Dermatologistas Existe Um Ingrediente Que Atua Basicamente Como o Botox

Ótimo para quem quer evitar agulhas. Por: Inês Aparício Imagens: © Unsplash/Park Street

É impossível não sentir uma pontinha de inveja ao olharmos para mulheres como Jennifer Lopez, Shakira ou Vera Wang. Quer dizer, o tempo parece simplesmente não passar por elas. Mas, a verdade, é que passa, ainda que as suas peles digam o contrário. E qual o preço a pagar para o conseguir? Envolvendo algumas agulhas e centenas de dólares em tratamentos estéticos. No entanto, este caminho não tem de ser obrigatório para dizer adeus às rugas, até porque vários dermatologistas comparam a ação do botox a um ingrediente mais facilmente acessível (e nada doloroso): a argirelina.

De acordo com Luís Uva, diretor da clínica PersonalDerma, «este péptido tem o mesmo princípio de atuação que a toxina botulínica» (vulgarmente conhecida como botox) e, por isso, ajuda a reduzir o movimento dos músculos, combatendo, por consequência, a formação das rugas. O efeito é, deste modo semelhante ao do procedimento estético, «embora tenha muito menos potencia e a sua capacidade de chegar ao músculo, quando aplicado na pele, seja diminuta», alerta o especialista em dermatovenereologia.

O que é, afinal, a argirelina?

Como Uva esclarece, «é um nome de marca de um péptido específico acetil hexapeptido-3, que representa uma cadeia curta de aminoácidos, que são a base de proteínas». «Embora vários peptídeos sejam comuns em cuidados com a pele, este difere na sua capacidade de reduzir o movimento muscular e as rugas que o acompanham; é o primeiro peptídeo com um efeito direcionado para as rugas de expressão. Para além disso também ajuda na síntese de novo colagénio para a pele», continua.

Como funciona?

A argirelina «interfere com um complexo recetor de proteína que ajuda a causar o movimento muscular», explica, antes de traduzir para termos mais simples. No fundo, «evita que os nervos falem com os músculos e lhes diga para se contraírem». Resultado? «Menos contrações musculares resultam em menos rugas», conclui.

Quando e com que frequência deve ser usado?

Uma vez que, «geralmente, não produz efeitos adversos», o dermatologista garante que pode ser usado diariamente, em qualquer momento do dia.

Quem pode utilizar este ingrediente?

Sem apontar uma determinada idade como aconselhável para introduzir a argirelina na rotina de beleza, Luís Uva salienta que este peptídeo «pode ser usado por qualquer pessoa que queira suavizar rugas causadas por movimentos musculares repetidos em áreas como a testa e ao redor dos olhos».

A sua ação pode ser potenciada quando usado em conjunto com algum ingrediente?

«Um estudo sugere que funciona bem em conjunto com outro peptídeo, tripeptídeo-10-citrulina, que aumenta a permeabilidade da argirelina para penetrar a uma profundidade onde pode atingir os músculos que causam rugas», refere o profissional de saúde. Além disso, de forma a «aumentar os benefícios da hidratação», é muitas vezes «combinado com ácido hialurónico», adiciona.

Por fim, Luís Uva faz uma chamada de atenção: «Só porque um produto contém argirelina não significa necessariamente que seja eficaz. A própria formulação, assim como o tamanho do peptídeo, afetarão a profundidade de sua penetração na pele e assim o seu efeito final». Por isso, deve ter em conta a concentração deste ingrediente quando escolher o produto que vai adicionar à sua rotina de beleza.