A YSL Beauty Quer Colocar Um Ponto Final na Violência Doméstica

Esta lançou uma iniciativa em colaboração com três organizações sem fins lucrativos. Por: Inês Aparício Imagens: © Instagram @yslbeauty.

Seja a favor da igualdade de género, da ciência ou enquanto apoio à luta contra o racismo, é frequente vermos marcas e associações de mãos dadas a propósito de diferentes causas sociais. Mais recentemente, foi a vez de a YSL Beauty desenvolver uma iniciativa que procura colocar um ponto final (ou, pelo menos, reduzir) a violência doméstica.

Em conjunto com três instituições sem fins lucrativos, com base em diferentes pontos do mundo – a It’s On Us, nos Estados Unidos, a En Avant Toute(s), em França, e a Women’s Aid, no Reino Unido -, a marca lançou o programa Abuse Is Not Love, de forma a combater a violência praticada entre parceiros, que tem, segundo esta, registado um aumento de casos durante este ano. Em comunicado, esta refere que os abusos físicos, sexuais, emocionais ou financeiros entre casais têm crescido na ordem dos 30% a 60%, enquanto resultado da pandemia. «Muitas mulheres têm vivido em confinamento com os seus parceiros abusivos e não têm conseguido procurar ajuda junto a organizações, amigos, família ou colegas», notou.

«Apoiar as mulheres, especialmente no que diz respeito à sua independência, é central na forma como a marca age. A violência entre parceiros impede a segurança, bem-estar e independência das mulheres», salientou Sephan Bezy, gerente internacional da YSL Beauty, em comunicado. «Portanto, pareceu bastante natural trabalhar numa questão que se afirma como oposta aos nossos valores e crenças principais», completou.

Na prática

Contrariamente ao que possa pensar, a Yves Saint Laurent não irá apenas criar este projeto e doar dinheiro à causa. Este será a base de uma série de iniciativas que visam promover a investigação académica relativa à violência doméstica, financiar atividades educacionais acerca deste tópico e ainda consciencializar os seus funcionários e beauty advisors sobre o tema.

Além disso, juntamente com a It’s On Us, irá lançar programas de ensino em mais de 250 universidades norte-americanas, de modo a educar mais de 60 mil alunos relativamente à violência que acontece entre relações e como devem ajudar as vítimas. Já no Reino Unido, irá elaborar vários workshops e instruir os profissionais de diferentes escolas sobre como devem ensinar os estudantes, no que à violência doméstica, sexismo e abuso com base no género diz respeito.