A Rainha Isabel II Vai Deixar de Utilizar Pelo Animal Na Sua Roupa Nova

As novas peças criadas para a monarca passarão a ser desenvolvidas com pelo falso. Por: Inês Aparício Imagens: © GTRESONLINE.

O número de designers que escolheram abandonar a utilização de pelo animal nas suas coleções tem crescido a cada dia que passa. Jean Paul GaultierDiane Von Fürstenberg e Coach seguiram as pisadas da Calvin Klein (fur-free desde 1994) e Stella McCartney – que desde o ano em que fundou a marca, em 2001, optou por seguir este caminho. Agora foi a vez de a Rainha de Inglaterra dizer não ao pelo animal. Assim, a partir de agora, qualquer nova peça de vestuário ou acessório criado em especial para Isabel II será desenvolvido com pelo falso.

«Se a Sua Majestade tiver de participar num convívio em que o tempo esteja particularmente frio, a partir de 2019, o pelo falso será usado para mantê-la quente», referiu Angela Kelly, costureira e confidente da monarca, num livro de memórias publicado no final do mês passado. Em The Other Side Of The Coin: The Queen, The Dresser And The Wardrobe, esta nota ainda que um casaco usado pela Rainha na Eslováquia, em 2008, foi entretanto alterado. O pelo de marta terá sido substituído por pelo falso.

Contudo, esta poderá ser das poucas mudanças em peças antigas de Isabel II. De acordo com um porta-voz do Palácio de Buckingham, em entrevista à Harper’s Bazaar, esta decisão não é sinónimo de abandono total do material. «Para os novos coordenados desenvolvidos para a Rainha, qualquer pelo usado será falso. Não estamos a sugerir que todo o pelo que existe no seu vestuário será recolocado ou que a Rainha nunca mais vai utilizar pelo novamente. A Rainha continuará a usar as peças que tem já no seu guarda-roupa [mesmo que tenham pelo verdadeiro]», esclareceu.

Decisão aplaudida

O abandono deste material foi aclamado por diversas organizações de direitos dos animais. Em declarações ao The Daily Telegraph, Claire Bass, diretora executiva da Humane Society International, mostrou-se entusiasmada com o anúncio da família real.

«Estamos animados com o facto da Sua Majestade ter oficialmente decidido banir o pelo verdadeiro», afirmou. «A decisão da Rainha Isabel II preferir pelo sintético é o reflexo perfeito da sociedade britânica, cuja grande maioria detesta a crueldade que desta prática advém, e não quer ter nada a ver com isso. Este movimento envia uma mensagem poderosa de que o pelo animal está claramente fora de moda», completou.