Há Uma Mulher Entre os Árbitros Principais Escolhidos Para o Mundial de Futebol

Edina Alves Batista será acompanhada ainda por outras duas mulheres, enquanto árbitras assistentes. Por: Inês Aparício Imagens: © Nathan Rogers, no Unsplash.

São sete os árbitros escolhidos para apitar o Mundial de Clubes e, entre eles, surge o nome de uma mulher: Edina Alves Batista. A brasileira de 40 anos faz parte da equipa de arbitragem do evento desportivo marcado para os dias 1 a 11 de fevereiro, no Qatar, que reúne em campo os seis campeões continentais e o vencedor do país em que este é realizado.

A esta, irão juntar-se ainda outras duas profissionais do género feminino, enquanto assistentes. Neuza Back, também brasileira, e a argentina, Mariana de Almeida, fazem ainda parte desta lenta mudança de paradigma no futebol, à qual a Fifa pretende dar continuidade, depois de, no Mundial sub-17 masculino de 2017, ter escolhido a árbitra suíça Esther Staubli para dirigir uma partida. Também em 2019, Claudia Umpierrez, do Uruguai, apitou dois jogos da mesma competição, no Brasil, salientou a organização, em comunicado.

Desde 2016 no quadro de arbitragem da Fifa, Edina tornou-se na primeira mulher a arbitrar disputas da Série A no Campeonato Brasileiro, aos 39 anos, e apitou a meia-final do Mundial de futebol feminino em 2019.

A equipa completa

Mario Escobar (Guatemala) , Leodan Gonzalez (Uruguai), Danny Makkelie (Países Baixos), Mohammed Abdulla (Emirados Árabes Unidos), Maguette Ndiaye (Senegal) e Abdelkader Zitouni (Taiti) são os restantes árbitros principais selecionados para o torneio. Além dos sete dirigentes em campo, foram escolhidos 12 assistentes e sete árbitros de vídeo para o sistema de VAR.