Os Três Momentos Que Marcaram a ModaLisboa Segundo a Nossa Editora de Beleza

Escolhas que são tudo menos esperadas. Por: Carolina Adães Pereira -- Imagens: Ugo Camera

Com o tempo, percebi que a forma como vivo as Semanas da Moda é muito atípica à dos meus pares. Gosto de analisar o ambiente da sala momentos antes de os desfiles começarem, tento perceber a forma como as coisas estão a ser organizadas, as pessoas que marcam presença. Depois, quando o desfile já está a decorrer, gosto de ouvir a música ao mesmo tempo que vejo a roupa. Gosto de perceber as reações da assistência. Quando tenho oportunidade, gosto de ir ao backstage e perceber como estão a decorrer os preparativos na zona dos cabelos e ver a primeira demonstração de um look na zona da maquilhagem. É a soma de todos estes cenários que dá origem à minha opinião sobre uma coleção.

Na ModaLisboa, temos a sorte de poder viver todas estas etapas na primeira fila (literalmente), o que torna todos estes processos mais íntimos e especiais. Partilho convosco três dos momentos que me fizeram vibrar nas Antigas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército neste último fim de semana. A ordem é aleatória e podia acrescentar mais dois destaques pelo menos, mas como dizem que o três é o número da criatividade, estes são os escolhidos.

Make-up de sonho em Valentim Quaresma

modalisboa

Valentim Quaresma S/S 2020

Vivemos um momento em que a maquilhagem passou a ser divertida e experimental, muito graças aos filtros do Instagram e a séries de televisão (estou a falar de Euphoria, caso ainda não tenha percebido). Já não há regras no que toca à cor nem exigências de perfeição no que diz respeito à aplicação e Antónia Rosa, responsável pela maquilhagem da Modalisboa, e a sua equipa brindaram-nos com look atrás de look que provam isso mesmo.

Na impossibilidade de incluir todos aquí, destaco o de Valentim Quaresma. Lembra-se quando Lizzie McGuire cantava This is What Dreams are Made of? Pode não ter sido este o look que inspirou a música do filme da Disney, mas vamos fingir que sim porque estes olhos são um sonho. Pigmentos cor de rosa (ou azul) aplicados nos cantos interiores e exteriores do olho, com partículas de brilho que mais parecem pós de pirlimpimpim são pura magia! Gostava de aprender a fazer esta make-up? Siga o tutorial da Perfumes & Companhia em baixo:

Em loop permanente por culpa de Carolina Machado 

modalisboa

Carolina Machado S/S 2020

Para além dos looks de maquilhagem, uma das coisas que mais me entusiasma nos desfiles de moda é a escolha de banda sonora. Não só porque gosto imenso de música, mas porque é ela que me ajuda a estabelecer uma relação com a coleção em si. Já não consigo contabilizar as vezes que já vi/ouvi a apresentação Primavera/Verão 20 da Pyer Moss desde que foi apresentada em setembro. Quer dizer, Freak Like Me de Adina Howard ou Money de Cardi B em versão Gospel: como não amar?

As Antigas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército receberam algumas propostas bastantes válidas e incríveis (como a Ana Moura, Branko e Conan Osíris a encerrar esta edição em Luís Carvalho ou Kanye West e BLKKK SKKKN HEAD em Duarte), mas foi a Between the Lines de Robyn em Carolina Machado que me pôs um sorriso na cara. Depois de ter vindo ao nosso país no verão, chegou agora a vez da artista sueca fazer-se ouvir na passerelle de moda nacional e ditar o tom de uma coleção muito harmoniosa em tons, silhuetas e fluidez de tecidos. Carolina Machado inspirou desejos pelo verão (que, ironicamente, nos acabamos de despedir dele) e fez-me voltar à minha playlist de Robyn (que está a tocar sem parar desde domingo).

 

Inclusividade: Let’s Talk About You and Me

modalisboa

Lidija Kolovrat S/S 2020

Antes de avançar, convido-vos a (re)ler este artigo em jeito de resumo sobre as principais semanas da moda e sobre o seu casting inclusivo, no que diz respeito a idades, etnias, cores de pele e tipos de corpos. Já sei que está a pensar “outra vez este assunto?” e sim, de forma muito consciente, escolho este tema como uns dos highlights desta semana da moda.

Quais seriam os resultados percentuais da Modalisboa, se tivesse incluída no estudo? Não fiz as contas, confesso, mas se tivéssemos em consideração apenas os desfiles de Constança Entrudo e Lidja Kolovrat, estaríamos muito bem classificados. A designer libanesa, em específico, levou à passerelle os seus clientes – de diferentes idades e diferentes tipos de corpos – em conjunto com a seleção de modelos desta edição e lembrou-nos qual o verdadeiro propósito da moda: vestir e inspirar; e para isso não deve haver limite de idade nem limite de peso. Dois em 22 desfiles é um começo. Estou entusiasmada com o futuro!