Modelo Portuguesa Denuncia Caso de Assédio Sexual Por Funcionário da CP

Um vídeo do momento foi partilhado pela mesma nas redes sociais. Por: Vítor Rodrigues Machado Imagens: © Instagram

Passaram-se cinco anos desde que a apelidada “lei do piropo” foi aprovada em parlamento, obrigando uma alteração ao artigo 170° do código penal. No entanto, e mesmo tendo sido uma mudança bastante comentada, parece que algumas pessoas não receberam a informação sobre a atual base legal para condenar este tipo de comportamentos. E a prova disso está no que aconteceu durante este fim de semana quando Sara Sequeira, numa viagem de comboio no trajeto Carrascal – Tomar, ouviu um funcionário da CP lhe dizer «Ainda bem que não está frio ou as mamocas constipavam-se».

Após ouvir a frase, a modelo portuguesa agenciada pela Face Models (uma das poucas agências a ter uma secção Plus Size), decidiu apresentar queixa tanto no livro de reclamações como às autoridades competentes, contra este trabalhador que culpabilizou a vítima por ter tido aquela atitude como se pode ouvir no vídeo gravado por Sequeira após o incidente: «Não a ofendi. o que é que disse de mal, diga lá? (…) há normas para viajar num transporte público (…) andar aí com as mamas à mostra não pode (…) acha que isso é que é decência? Fique sabendo que não tem condições para viajar assim. Anda a provocar os homens todos. Não pode andar desse jeito» disse o homem.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Não, isto não é normal. Não, isto não é mimimi de mulheres. Isto é grave. Isto é atentado à minha liberdade. Isto é assédio..isto é um comportamento nojento. Isto aconteceu hoje, na viagem que fazia do carrascal para Tomar. ia vestida com um vestido verde. Quando fui abordada pelo revisor que no final de me cobrar o bilhete (que demorou bastante porque estava mais interessado em olhar para o meu peito do que para a máquina) disse o seguinte: – “Ainda bem que não está frio ou as mamocas constipavam-se.” Isto dito por um homem na sua hora e local de trabalho! Isto não é um comportamento normal em nenhum lado muito menos num sitio onde sou cliente. Apresentei queixa à @cp_comboiosdeportugal e de seguida disse ao revisor que o seu comportamento foi nojento. No mínimo deveria pedir desculpa. Mas não!!! ainda diz que eu é que ando aí a provocar os homens? Fui apresentar queixa às autoridades competentes porque este tipo de atitudes devem ter consequências para quem as pratica. Não se calem. Não deixem estas coisas passar em branco. Somos livres de andar de vestido fora e dentro de um comboio!!!! Estamos no século XXI! Chegaaaaaaaa de nos massacrarem com este tipo de comentários, de provocações, de toques, de assédio!

Uma publicação compartilhada por sara sequeira (@sara_cm_sequeira) em

Ainda nas redes sociais, e para que não restassem dúvidas, a modelo fez questão de mostrar o vestido que usava no momento da ofensa:

Repercursões

De acordo com um comunicado enviado pela CP, a situação está a ser investigada «Na sequência do incidente ocorrido, no passado dia 4 de setembro de 2020, a bordo de um comboio regional com destino a Tomar, a CP — Comboios de Portugal procedeu a imediatas e preliminares diligências de averiguação interna, no sentido de apurar os factos denunciados pela sua cliente»

 

Legislação Atual

Para que não restem mais dúvidas, a alteração do artigo 170° do código penal, em 2015, fez com que neste passasse a estar escrito «Quem importunar outra pessoa, praticando perante ela atos de carácter exibicionista, formulando propostas de teor sexual ou constrangendo-a a contacto de natureza sexual, é punido com pena de prisão até 1 ano ou com pena de multa até 120 dias, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal».