Kendall Jenner: «O meu maior defeito é ter a mania de controlar tudo»

Falámos com a modelo que, nesta estação, mantém a sua posição de embaixadora da Longchamp. Por: ELLE Portugal Imagem: © D.R

Ganhou o seu papel de embaixadora da marca francesa, Longchamp, há mais de um ano, e desde então nunca mais o largou. Falamos com Kendall Jenner, em exclusivo sobre esta sua posição na Longchamp, mas também sobre a sua paixão pelo mundo da moda.

ELLE: Quando é que começaste a interessar-te por moda?

Kendall Jenner: Acho que sempre fui muito interessada por moda. A minha mãe, a minha avó e as minhas irmãs sempre tiveram este gosto, desde que consigo lembrar-me, por isso não é muito surpreendente que eu também o tenha herdado. Houve uma altura em que só queria saber de cavalos – e continuo apaixonada por eles -, mas ainda assim mantive sempre este interesse.

Muitos veem-te como um ícone de estilo. Há alguém, do passado ou do presente, que consideres uma referência?

Eu amo a Jane Birkin e a princesa Diana. Adoro como, sem grande esforço, elas conseguiam manter aquele ar cool, quer estivessem só a andar na rua descontraídas quer a correr. É quase como se simplesmente já acordassem assim.

Qual é a peça do teu guarda-roupa de que mais gostas?

Tenho um guarda-roupa de arquivo, onde estão todas as peças que usei para eventos ou em momentos especiais e adoro todas elas. Além disso, eu sei que é bastante simples, mas acho que todas as raparigas precisam de um par de calças de ganga, por isso acho que essa seria a escolha.

Que produto de maquilhagem é essencial para ti?

Tenho uns quantos. Mas talvez um corretor de olheiras e um bronzer ou iluminador para fazer a minha pele brilhar.

E que produtos essenciais colocarias para viajar na Pliage?

Um hidratante facial e de lábios… Depois talvez um snack… Quando viajo, tomo melatonina, que me ajuda a dormir um bocado. Mas se alguém inventasse um remédio milagroso para jet lag, eu definitivamente também o poria lá!

Se tivesses de escolher um livro, uma música e uma peça de luxo para levar para uma ilha deserta, o que seria?

A música, assim de repente, diria Don’t Dream It’s Over, dos Crowded House. E depois o livro… Eu gosto muito de poesia porque, como tenho défice de atenção, não consigo focar-me numa coisa só. Um dos meus favoritos é Leite e Mel, da Rupi Kaur (ed. Lua de Papel). E um luxo… Acho que água seria excelente numa ilha deserta!

Quais são a tua maior qualidade e o teu maior defeito?

Acho que a minha maior qualidade é a minha lealdade. O meu maior defeito é (e por vezes odeio-o) ter a mania de controlar tudo. Eu realmente tenho TOC, e preciso que as coisas sejam feitas de uma maneira, porque o meu cérebro não deixa que seja diferente.

És a embaixadora da Longchamp há mais de um ano. O que te tem agradado, em particular, neste papel?

Eu gosto de fazer parte da marca – é muito divertido e entusiasmante. No ano passado, a Longchamp celebrou o seu 70o aniversário, e eu fiquei realmente feliz por fazer parte do que alcançaram e por fazer parte da sua herança.

Estiveste na fila da frente do desfile outono-inverno 2019 da Longchamp, em Nova Iorque. Qual foi o teu look favorito?

Eu gostei de muitas coisas! Em particular, achei que ficou mesmo gira a forma como eles refizeram o logótipo para esta estação – gostei especialmente dos looks que tinham os casacos e os tops repletos de estampados.

 

 

Este artigo foi originalmente publicado na revista ELLE de novembro de 2019.