Kamala Harris É A Primeira Mulher Negra Candidata A Vice-Presidente dos EUA

Esta foi a escolha de Joe Biden para o acompanhar na corrida à Casa Branca. Por: Inês Aparício Imagem: © GTRESONLINE.

Não é a primeira vez que Kamala Harris entra para os livros de história como pioneira. Depois de, em 2011, ter sido eleita procuradora-geral da Califórnia (cargo para o qual voltou a ser escolhida em 2017) e se ter tornado, assim, na primeira negra a consegui-lo, agora, dá um passo além, adquirindo o estatuto de primeira mulher negra e primeira pessoa de ascendência indiana a ser nomeada para vice-presidente por um dos dois maiores partidos norte-americanos, salienta o The New York Times.

Foi esta terça-feira à noite que Joe Biden, candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, anunciou quem o irá acompanhar na corrida à Casa Branca. A decisão pareceu, a muitos, natural, devido ao panorama atual do país, especialmente no que diz respeito à luta contra o racismo, que ganhou força desde a morte de George Floyd, em maio deste ano. Além disso, o apoio do eleitorado negro na vitória no estado da Carolina do Sul, quando a derrota para Bernie Sanders parecia quase inevitável, terá contribuído para a preferência de uma mulher negra como candidata à vice-presidência.

Apesar de as dúvidas serem poucas quanto à escolha de Biden, tendo em conta estes «critérios restritos», uma outra alternativa surgia: Susan Rice, conselheira nacional de segurança no segundo mandato de Barack Obama e embaixadora dos Estados Unidos na ONU, entre 2009 e 2013. Contudo, o seu nome não era tão sonante no debate, dada «a ausência de ativismo político e social no seu currículo e o facto de ser odiada nos setores mais conservadores do Partido Republicano», frisa o Público.

A reação de Kamala

Respondendo à nomeação, a senadora de 55 anos escreveu, no Twitter, que se sentia «honrada» por se juntar a Joe Biden e que «fará de tudo para o tornar no comandante-chefe». «Joe Biden pode unir o povo americano, porque ele passou sua vida a lutar por nós. E, como presidente, ele irá construir uma América à altura de nossos ideais», acrescentou.

Donald Trump surpreso com decisão

Quem se mostrou surpreso com a revelação do seu oponente foi Donald Trump. Em declarações à imprensa, este relembrou as críticas de Harris a Biden durante o debate para as eleições primárias, em junho do ano passado, no qual esta acusou o candidato à presidência dos Estados Unidos de colaborar com políticos racistas e segregacionistas do Partido Republicado, nos anos 1970. «Uma das razões que me surpreendeu foi o facto de ela ter sido, provavelmente, mais desagradável com Joe Biden que a Pocahontas», afirmou, referindo-se a Elizabeth Warren. «Ela foi muito desrespeitadora para com Joe Biden e é muito difícil escolher alguém que é desrespeitador», concluiu.

Entretanto, no seu meio de comunicação preferido, o presidente norte-americano acabou por atacar Kamala Harris, descrevendo-a como um «radical de esquerda». Sem adicionar qualquer comentário, este partilhou, no Twitter, um vídeo em que declara a união de Harris e Biden «errada para a América».

Aplausos de Barack Obama

Contrariamente a Trump, Obama acredita no potencial da eleita pelo candidato à Casa Branca. «Conheço a senadora Kamala Harris há muito tempo. Está mais do que preparada para o trabalho. Ela passou a sua carreira a defender a nossa constituição e a lutar por quem precisa de mais justiça. Este é um bom dia para o nosso país», mencionou no Twitter.