Havia Uma Mensagem Escondida no Look Branco de Kamala Harris

Para o seu primeiro discurso enquanto vice-presidente norte-americana, esta homenageou as mulheres. Por: Inês Aparício Imagem: © GTRESONLINE.

A Moda é (muito) mais do que simples peças de roupa, todos sabe-mo-lo. É também arte, economia e, acima de tudo, política. Por isso, quando Kamala Harris subiu ao palco do Chase Center, em Wilmington, no estado de Delaware, percebemos que o fato branco que escolhera para a sua primeira apresentação enquanto vice-presidente dos EUA era mais do que um conjunto monocromático. O coordenado procuraria homenagear a longa caminhada do género feminino na conquista de direitos, num momento que ficará para a história como o primeiro em que o Estados Unidos e o mundo viu uma mulher, negra, de ascendência indiana, a tornar-se vice-presidente nesse país.

De assinatura Carolina Herrera – uma marca norte-americana frequentemente preferida por primeiras-damas, como Jackie Kennedy, Laura Bush ou Michelle Obama -, o fato seria uma referência ao movimento sufragista, que, durante o século XX, lutou para que as mulheres tivessem, tal como os homens, o direito ao voto. O tributo a este grupo em específico não foi, contudo, tornado explícito durante o seu discurso, no qual honrou apenas «todas as mulheres» que cimentaram o caminho para que pudesse, agora, ocupar o cargo que conseguiu.

Harris combinou-o com uma blusa de laçada (em inglês, pussybow), também esta com uma segunda intenção. De acordo com o The New York Times, a peça é símbolo de poder, enquanto versão feminina da gravata, e um reflexo do esforço das mulheres na conquista por mais direitos para o seu género. Além disso, como nota a Bustle, esta pode traduzir ainda solidariedade para com as vítimas de assédio e abuso sexual, especialmente desde que Melania Trump a vestiu, após tornada pública a controversa conversa em que o marido declara querer «agarrar» as mulheres pelas partes íntimas (o conhecido grab them by the pussy).

Também a própria decisão de levar um look monocromático será uma forma de «celebração da comunidade negra», salientou a historiadora de moda e escritora Shelby Ivey Christie, no Twitter.

Mulheres de branco

A escolha de coordenados brancos, monocromáticos, tem sido comum na cena política norte-americana. Já em 2016, foi exatamente esta a combinação preferida por Hillary Clinton para o dia das eleições, quando enfrentava Donald Trump na corrida à Casa Branca. Dois anos depois, um grupo de congressistas, de entre as quais Alexandria Ocasio-Cortez, escolheu também vestir-se de branco.

O empoderador discurso

Na noite de sábado, 7 de novembro, as previsões da CNN face aos resultados eleitorais determinaram que era Joe Biden o vencedor, levando Donald Trump a despedir-se do seu cargo de quatro anos. Tal como o futuro presidente dos EUA, Kamala Harris dirigiu-se ao mundo e lembrou todas as mulheres que tornaram possível o seu novo título vice-presidente norte-americana, em especial as mulheres negras que considera ser a «estrutura da democracia».

«A todas as mulheres que lutaram para garantir e proteger o direito ao voto há mais de um século: há 100 anos com a 19ª amenda, 55 anos com o Voting Rights Act e, agora, em 2020, com uma nova geração de mulheres no nosso país que votaram e continuaram a lutar para que o seu direito fundamental ao voto seja ouvido», declarou. «Esta noite [no sábado], reflito sobre as suas dificuldades, a sua determinação e a sua visão corajosa e apoio-me sobre os seus ombros», adicionou.