Ator de ‘Dear White People’ Deixa a Série Após Acusar a Produtora de Racismo

A Lionsgate já respondeu às alegações. Por: Inês Aparício Imagens: © D. R.

A quarta temporada de Dear White People verá um lugar vazio na série, uma vez que Jeremy Tardy – que dá vida a Rashid Bakr – admitiu não regressar para a última parte do drama disponível na Netflix. A razão por trás da decisão do ator prende-se com as alegações de racismo de que este acusa a Lionsgate, depois de uma tentativa de negociação do seu ordenado.

No Twitter, Tardy contou como, após um convite para interpretar a sua personagem em mais episódios na próxima temporada da série, tentou formular uma contraproposta salarial, mas esta, ao contrário do que aconteceu com os seus colegas, foi rejeitada. «Esta notícia foi perturbadora, porque um dos meus colegas caucasianos – sendo um verdadeiro aliado – revelou que também tinha recebido a mesma oferta inicial e conseguiu negociar com sucesso uma contraproposta», revelou. «A minha equipa expressou esta questão à Lionsgate e os produtores mantiveram a sua posição de que o ator caucasiano teve a possibilidade de negociar, enquanto eu não, independentemente da minha reputação e experiência», acrescentou.

Jeremy continuou, explicando que se uniu a outros membros do elenco para, coletivamente, procurarem uma oferta melhor para todos. Contudo, a estratégia acabou por não resultar, «devido a ofertas paralelas e falta de transparência». «Esta estratégia levou a que alguns indivíduos aceitassem propostas antes que o grupo recebesse um processo de negociação justo e igualitário», salientou.

Acusações de hipocrisia

Também nesta rede social, o ator colocou em causa as recentes ações, quer da Lionsgate, quer da Netflix, no que ao apoio ao movimento Black Lives Matter diz respeito. «Estas empresas divulgaram recentemente comunicados e até fizeram contribuições para o movimento Black Lives Matter. Estou a chamá-las à atenção relativamente às suas práticas de discriminação de desigualdade racial vergonhosas, devido ao modo como historicamente subestimaram e desprezaram os negros. O politicamente correto e gestos simbólicos não vos torna inocentes da responsabilidade diária de gerir um negócio de forma justa e igualitária», frisou. «O facto de que isto aconteceu nos bastidores de uma série que pretende abordar as sistémicas questões de racismo e discriminação traduz-se no epítome da hipocrisia», completou.

A resposta da Lionsgate

Entretanto, em declarações à Deadline, a Lionsgate referiu que esta questão «foi puramente uma negociação financeira que teve em conta dos termos do acordo». «A Lionsgate comprometeu-se a tratar de forma igual todos os seus talentos, independentemente da etnia, género, idade ou orientação sexual. Estamos muito orgulhosos de Dear White People  e do espaço que encontrou nas conversas a nível nacional acerca da igualdade racial e justiça social e estamos ansiosos por começar a produção da quarta temporada», adicionou a produtora. Até ao momento, Jeremy Tardy não respondeu ao depoimento.