Meghan Markle Incentiva Os Jovens a Mudar O Mundo Num Poderoso Discurso

A Duquesa de Sussex terminou a visita à África do Sul a empoderar os mais novos. Por: Inês Aparício -- Imagens: © GTRESONLINE.

A visita dos Duques de Sussex à África do Sul, que ficou marcada como o primeiro compromisso oficial de Archie, chegou esta quarta-feira, 2 de outubro, ao fim. Num discurso de despedida, depois do casal ter conhecido Graça Machel, mulher de Nelson Mandela e defensora dos direitos das mulheres e das crianças, Meghan Markle falou diretamente para os jovens, empoderando-os para mudar o mundo.

«Lembro-me de, quando era jovem, ver televisão e aperceber-me do que estava a acontecer no mundo e, francamente, sentir-me várias vezes desesperada. Quando veem e ouvem constantemente negatividade, pode ser esmagador; podem sentir-se impotentes e perdidos, e podem sentir-se diferentes, confusos ou como se não pertencessem aí. E tenho a certeza que existe uma rapariga ou um rapaz que está a ver isto e a pensar exatamente no mesmo. Por isso, isto é para vocês», declarou.

«Num mundo que pode parecer tão agressivo e perigoso, devem saber que têm o poder de mudá-lo. Porque, quer vivam aqui na África Sul, no Reino Unido, nos Estados Unidos ou em qualquer outra parte do mundo, têm o poder dentro de vocês para mudar as coisas, e isso começa convosco a conetar-se com os outros», disse ainda. «Todos têm valor e todos merecem ser ouvidos e respeitados», completou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por The Duke and Duchess of Sussex (@sussexroyal) em

Mulheres no centro da visita à África do Sul

Não foram apenas os jovens o foco da viagem dos Duques de Sussex. Ao longo da visita à Àfrica do Sul, Meghan Markle colocou também as mulheres no centro dos seus discursos, admitindo que saber mais sobre as condições destas no país era uma das suas principais intenções: «Enquanto alguém que têm em conta os direitos das mulheres e das raparigas, preocupo-me com o que aqui se passa e o meu objetivo nesta viagem era conhecer mulheres na África do Sul para as ouvir e aprender com elas», explicou num evento em Johannesburg’s High Commission.

«Como já o disse noutras vezes, acredito firmemente que todas as mulheres têm uma voz. Apenas têm de se sentir empoderadas para a usar e as pessoas têm de se sentir encorajadas a ouvi-las», acrescentou. «Existe um papel para todos nós. Enquanto mulheres, podemos ouvir-nos umas às outras, apoiarmo-nos e podemos ainda educar os nossos filhos a tornarem-se homens que valorizam as mulheres. E para vocês, homens e rapazes, podem dar o exemplo e não deixar que as vossas mães, filhas, irmãs, mulheres ou namoradas se sintam, alguma vez, menos que vocês», concluiu.