Coronavírus: Como Ajudar os Outros em Tempo de Isolamento Social

7 iniciativas que apoiam quem precisa e pode ajudar quase sem sair de casa. Por: Margarida Brito Paes Imagens: © D. R.

O isolamento social é a ferramenta mais forte no combate à propagação do coronavírus, no entanto, como em tudo, existe o reverso da medalha. Sem pessoas na rua, e instituições fechadas, são os mais desfavorecidos que pagam o preço mais alto. Mas há formas de ajudar aqueles que já precisavam de ajuda antes, e agora precisam mais do que nunca, mas também aqueles que antes eram independentes e agora, por imposição médica, não podem sair de casa. Neste último caso, até as tarefas mais básicas como passear os animais de estimação, ou comprar medicamentos, se tornou uma impossibilidade física.

É por isso que em tempo de isolamento social a solidariedade ganha diferentes braços. Por um lado, ajuda monetária para instituições que estão a apoiar quem mais precisa, por outro voluntariando-se para substituir quem não pode sair de casa nas tarefas mais simples.

Pode sempre alargar este voluntarismo entrado em contacto com Associações e ONG que continuam os seus trabalhos no terreno, e por força das circunstâncias veem o seu corpo de voluntários reduzido. Pode ainda ajudar o SNS de uma forma muito simples: dar sangue. No entanto, informe-se antes através do site do dador onde e como deve fazer a sua dádiva, pois nesta altura ir a hospitais não é aconselhável. Mas existem ainda, outros movimentos e formas de ajudar que foram pensados precisamente para este tempo de isolamento.

Quero Ajudar

A aplicação Quero Ajudar pretende ser um ponto de encontro entre quem precisa de ajuda e quem está disponível para prestar ajuda. Os serviços são variados vão desde apoio psicológico, a ajuda com as crianças, assistência a animais de estimação, deslocações para compras e farmácias, disponibilização de casas para profissionais de saúde, etc. Tudo o que tem de fazer para ajudar é inscrever-se como voluntário, especificando qual é o apoio que pode prestar e em que zona do país. Com base nos dados recolhidos a aplicações põe os voluntários certos em contacto com quem precisa de auxílio.

É ainda possível dar apoio aos nossos profissionais de saúde, doando uma refeição, ou outro bem essencial, ou deixando uma palavra de apoio, um abraço solidário, entre outras coisas.

Vizinho Amigo

O Vizinho Amigo põe em prática a solidariedade de bairro, a ideia é que os mais jovens ajudei os vizinhos mais velhos, ou outras pessoas de risco, nas suas compras para que estes não tenham de sair de casa. Levar compras de mercearia e medicamentos aos vizinhos é o principal objetivo deste movimento que já conta com milhares de voluntários. Para fazer parte desta rede apoio pode inscrever-se através de um formulário.

Bundle 4 Help

Levar cabazes de comida a quem mais precisa, era mais fácil noutras alturas, sobretudo quando a afluência aos supermercados não tinha restrições e era possível angariar alimentos à porta. Em tempo de isolamento social a alternativa é a Bundle 4 Help, um movimento solidário que pretende angariar fundos para comprar cabazes de comida, que serão mais tarde entregues a famílias carenciadas. Estas cestas essenciais têm o valor de €30 ou €15, mas são aceites outros valores, afinal toda a ajuda é Benvinda. Este movimento está em contacto com grupos de voluntários que ficarão encarregues de comprar os cabazes e entregar a quem precisa. Além de fazer um donativo, pode ainda entrar em contacto com a Bundle 4 Help para sinalizar pessoas que necessitem deste apoio.

Impac’tu

Tal como o Vizinho Amigo também a Impac’tu quer reunir voluntários para fazer as compras pelas pessoas que pertencem a grupos de risco. Esta plataforma reúne apenas voluntários para agir na zona do Porto. Para ajudar ou pedir ajuda basta enviar um e-mail para portadeimpacto@gmail.com

Movimento Movido a 4 Patas

Quando a quarentena se torna obrigatória, ou o isolamento ainda mais restrito, a vida dos animais de companhia também sofre alterações. Para minimizar este impacto, e a pensar sobretudo em quem por estes dias não pode sair de casa para passear os seus animais, o Movimento Movido a 4 Patas está a reunir voluntários para assumir essa tarefa. O movimento está ainda a assegurar a alimentação dos gatos de rua que agora se vê debilitada.

SOS Vizinho

Esta é mais uma plataforma que pretende juntar quem precisa de ajuda com quem pode prestar apoio. Neste caso, é também o apoio às compras e entrega das mesmas aos grupos de risco.

Rede de Emergência Alimentar

Com o isolamento social, também a fome aumenta, porque o apoio é mais difícil de alcançar e há menos braços para ajudar na rua. A pensar nesta realidade o Banco Alimentar criou a Rede de Emergência Alimentar. Esta iniciativa vai permitir a inscrição das necessidades concretas de cada família (pelos próprios, familiares, amigos ou quaisquer outros) numa plataforma informática. Com base nesta informação serão entregues os bens necessários a cada família, através de um grupo de voluntários, devidamente protegidos, para fazer as entregas e locais e horários convenientes para todos. Além dos bens alimentares avulso, será ainda possível a entrega de refeições confecionas. Pode inscrever-se como voluntário, ou fazer donativos para esta iniciativa no site do Banco Alimentar.