Barbara Palvin: «Estamos a errar quando categorizamos as modelos por tamanhos»

A modelo falou sobre a indústria da moda e até nos deu alguns truques de estilo e beleza. Por: Margarida Brito Paes -- ©Imagens:D.R

Barbara Palvin fez 26 anos no dia 8 de outubro, o mesmo dia do desfile da Calzedonia. Mas nem isso impediu a modelo húngara de assistir ao desfile da marca. Foi momentos antes do evento, nos bastidores do desfile, onde também nos cruzamos com Blanca Padilla, Cindy Bruna e Chiara Ferragni, que a ELLE entrevistou, em exclusivo, uma das modelos mais faladas do momento.

A modelo foi descoberta aos 13 anos e desde então não parou. Ficou conhecida pelos seus anúncios para a L’oréal, os desfiles da Victoria’s Secret e o seu papel no filme Hércules, em 2014. No instagram, conta com mais de 12 milhões de seguidores, um número impressionante que também é uma das chaves do sucesso de Barbara Palvin. Um assunto de que falou com a ELLE, sem preconceitos.

Como é passar o dia de aniversário em Verona para assistir ao desfile da Calzedonia?

Estou muito contente por estar aqui em Verona. É uma cidade linda e trouxe a minha irmã comigo. Conseguimos ver muitas coisas, esta manhã, e estamos muito entusiasmadas com o desfile.

Como é que este desfile é diferente dos outros, porque é um desfile de collants que é uma coisa pouco comum?

Há muitas mulheres. Fiquei fascinada de ver tantas mulheres, ontem, no hotel, e em cada mesa estavam apenas raparigas. Não havia homens, de todo. Esta é a minha primeira vez aqui para este desfile. Só tinha visto o da Intimissimi, há dois anos, por isso não sei bem o que esperar.

É interessante dizeres que estás muito feliz por ver tantas mulheres aqui para o desfile da Calzedonia. Hoje em dia, a moda é muito sobre diversidade e autenticidade. O que pensas disso?

Acho que é algo que já devia ter sido feito há muito tempo. Representar as mulheres, todo o tipo de mulheres e a sua diversidade é muito importante para criar uma mentalidade saudável no Mundo. Mas há um erro que as pessoas estão a cometer. Estamos a errar quando categorizamos as modelos por tamanhos, porque, na verdade, são só modelos com diferentes tipos de corpo. Quando plus size significa ser diferente na moda, também o significa no mundo real. Por isso, devemos ter cuidado. Mas estou muito contente que haja mais diversidade na moda.

Começaste a trabalhar muito cedo como modelo, há algum truque de beleza que tenhas aprendido nos bastidores dos desfiles?

Na verdade aprendi tudo nesta indústria, porque comecei a trabalhar com 13 anos. Mas o que aprendi mais recentemente foi a fazer contouring apenas com um pó bronzeador. O que temos de fazer é aplicar o produto em forma de três em cada metade do rosto. E assim conseguimos fazer o efeito de contouring de forma ligeira.

 

 

«Representar as mulheres, todo o tipo de mulheres e a sua diversidade é muito importante para criar uma mentalidade saudável no Mundo»

 

 

Como referiste, começaste a trabalhar muito cedo. Na altura não existiam as redes sociais que existem hoje. Como é que o aparecimento do Instagram e outras redes mudou a indústria?

Bem, naquela altura era um mundo completamente diferente. Acho que as redes sociais dão mais oportunidades às raparigas para se tornarem modelos. Agora, não é que seja um requisito, mas as raparigas podem ser escolhidas com base no número de seguidores que têm, porque isso também é muito importante para os clientes, desde que também se transforme em publicidade para eles os posts que fazem nas redes sociais quando vão fazer um trabalho. Isto também torna as coisas mais difíceis, por outro lado, porque há muito mais concorrência.

E como é que se conseguem destacar no meio de tantas raparigas?

Acho que a chave é sermos nós próprias. Eu tento ser eu própria, e uso as redes sociais para partilhar o que acho criativo e o meu dia-a-dia. Com isso, os meus seguidores sentem-se mais próximos de mim.

O que esperas do teu futuro com a Calzedonia?

Muito mais sessões fotográficas divertidas nas Bahamas, para a coleção de fatos de banho. E espero voltar aqui para o próximo desfile.

Preferes usar leggings ou collants?

Collants, definitivamente. Porque são mais finas e por isso são mais lisonjeiras para as pernas.

E que conselho de moda nos podes dar para este inverno?

Eu sei que está frio, mas não tenham medo de usar collants. Podem usá-las com botas, como eu faço, e assim não vão ter frio.