10 Anos Sem Alexander McQueen: Reveja os Melhores Desfiles do Criador

Um nome que nunca será esquecido. Por: Margarida Brito Paes Imagens: © D. R e © Gtresonline

A 11 de fevereiro de 2010, Alexander McQueen despediu-se do Mundo, tinha 40 anos, mas o mesmo espírito rebelde de quando começou a criar roupa. Foi cedo demais, porque certamente ainda tinha muito para dar à Moda. Os anjos e demónios que viviam na sua cabeça, eram transportados para a roupa de um forma tão única que perdurará para sempre na memória. Alexander McQueen tinha a capacidade de transformar o grotesco em belo e isso é muito mais que arte, é um dom que toca a muito poucos.

Os seus desfiles tinham como grande intuito provocar emoções, fossem elas de amor e encantamento, ou de repulsa e medo. Uma visão da Moda que é deixada clara no documentário, lançado em 2018, que conta através das cassetes que o designer gravava e imagens de arquivo a vida privada e pública de McQueen.

 

As coleções mais marcantes

Das suas mais retumbantes criações ficam: as calças de cintura descida, em 1996, o vestido branco pintado em pleno desfile com máquinas de jato, em 1999,  a coleção que parecia arrancada de uma lixeira, e que tinha mesmo um monte de sucata em plena passarelle, em 2009, e claro, o desfile de primavera-verão 2001 que levou a doença mental para a passerelle. A estas criações somam-se as criações para a linha de alta costura da Givenchy de 1996 a 2001.

Reveja alguns dos momentos memoráveis de Alexander McQueen